[ editar artigo]

3 razões para acessibilidade digital

3 razões para acessibilidade digital

Mas será que acessibilidade digital beneficia apenas as pessoas com deficiência?

Apenas no Brasil, segundo o Censo Demográfico do IBGE de 2010, há aproximadamente 45 milhões de pessoas que apresentam pelo menos uma das deficiências investigadas. Esse número representa 23,9% da população brasileira. Vamos fazer uma conta aqui em 2010 tínhamos esse percentual, mais de 20% cerca de 45 milhões de pessoas brasileiras, 1,3 bilhões de pessoas no mundo segundo a OMS, você consegue imaginar agora?

Eu compartilho 3 razões pelas quais devemos aprimorar nossos Hacks mentais para uma atuação ágil em nossos conteúdos, sites e acima de tudo em nossas vidas.

  1. Estar no lugar do outro
    Difícil, não é? Se eu não fui educado, não tive esse aprendizado, dificilmente eu vou conseguir entrar nesse universo, porque desconheço, o fato que nos relacionamos com aquilo que nos é conhecido (isso é neurologicamente comprovado) mas podemos mudar. Estão aí as ferramentas e pessoas dispostas à essa causa.
    Acessibilidade digital tem a ver com muita coisa, mas sem dúvida, a mais primordial delas é a empatia.
    Imagina como seria se você não pudesse ler nenhuma das notícias que você lê todo dia de manhã?
  2. Desperdiçar uma oportunidade
    Tem muita gente que não tem acesso ou não compreende coisas na internet que são simples para a maioria de nós. A sua empresa ou o seu Blog hoje não conseguem alcançar mais de 10 milhões de pessoas – esse é o número de surdos hoje no Brasil. Você sabia que a maioria deles não compreende o português? Cerca de 80% dos surdos do mundo são analfabetos nas línguas escritas. Estamos falando de 5% da população brasileira, que você não consegue atingir com a sua mensagem. (Fonte: Hand Talk)
  3. Falar com quem ninguém fala!
    No Brasil, pouquíssimos sites são acessíveis – só 1% do total. Isso faz com que as poucas organizações que se preocupam com a inclusão e investem e acessibilidade digital saiam na frente da maioria. Elas têm as portas abertas para mais de 45 milhões de brasileiros com deficiência – um público enorme, com o qual quase ninguém se comunica. Já pensou como seria ter a atenção de tanta gente de uma vez só?

É isso que acontece quando você tem um site acessível. E o melhor é que a via é de mão dupla: as organizações ganham com tudo isso e as pessoas com deficiência podem interagir com elas, aproveitando tudo o que têm a oferecer!

Na prática

Hoje: Peguei meu negócio e chamei minhas sócias para uma conversa franca e aberta sobre essa questão: Web para todos/ Comida também para todos.

Vencendo a resistência: “Imagina o trabalhão que vai dar, fazer acessibilidade para todo mundo!”

Começamos primeiro: uma reforma interna, mental e honesta (demora muito cair a ficha), segundo procuramos os órgãos e pessoas já vivenciando o tema e terceiro começamos a botar a mão na massa.


Em breve eu volto aqui para contar como estamos indo. Mas antes disso quero encorajar todos aqui. Estamos na segundo loja e indo para terceira.

Negócio: Alimentação
Subnicho: Comida mexicana
Público (novo para nós): Surdos
Adaptação dos meios: Cardápio em Libras, Site com acessibilidade, Entrega consciente.

A terceira loja também no seguimento de alimentação - um lineup de comidas com experiências.

 

Marketing na Era Digital
Jackeline Menezzes
Jackeline Menezzes Seguir

Ensino pessoas sobre pensamento consciente, autoconhecimento, psicologia de sucesso e marketing no digital.

Ler conteúdo completo
Indicados para você