[ editar artigo]

A doença dos Likes?!?

A doença dos Likes?!?

Você acaba de postar e fica atualizando a página pra ver quem curtiu... quem não curtiu. Por quê? Fulano tá online, por que não curtiu, não comentou... será que ninguém gostou??? Quem nunca?

Esses sintomas leves até as grandes ansiedades por não conseguir aquele feedback desejado, o sofrimento pelas respostas que demoram a vir e a frustração pela expectativa não correspondida fazem parte do grupo de angústias vividas pelos internautas atualmente.

E pode ser bem normal, desde que não cause muito sofrimento ou condicione a pessoa a somente esperar pelo like para afirmar seu valor pessoal.

Isso sim é um grande problema!

Mas será que isso tudo é novo? Será que nunca existiu esse sofrimento pela opinião e aceitação do outro? Será que é mesmo a doença dos likes?

Não!!! Desde que o homem é homem ele tem uma necessidade de ser aceito e afirmado no seu grupo. Isso faz parte do seu instinto natural de sobrevivência e uma reação do sistema límbico contra a ameaça de ser rejeitado ou de não ser bom o suficiente.

Alguns afirmam ser parte de um ego exagerado e de uma carência emocional que se reflete na baixa autoestima e na insegurança frente à exposição que as redes sociais no ambiente digital trazem, revelando em grande parte das vezes traumas e feridas emocionais escondidas.

Sendo que a autoafirmação trazida pelas selfies, likes, seguidores e engajamentos compõem um arriscado terreno para uma personalidade fragilizada e um emocional ferido. Não são raros os casos de depressão, ansiedade e até suicídio deflagrados pela rejeição sentida no ambiente sociodigital. Basta o Facebook alterar o algoritmo que o sofrimento já começa.

Porém é fato que a tecnologia é igual ao dinheiro, não corrompe ninguém, apenas revela e potencializa o que tem dentro de cada um. E não deve ser a única a "pagar o pato" nessa história. As emoções humanas sempre estiveram em risco, então cuidar da mente e do coração é a melhor alternativa em qualquer geração. 

Dá um like aqui então ;)

Dani Toniete
Neurocientista e Coach de Emoções

TAGS

ansiedade

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você