[ editar artigo]

Acessibilidade Digital - por onde começar?

Acessibilidade Digital - por onde começar?

Acessibilidade é um tema que ainda hoje não tem a atenção que merece. Nossas cidades, negócios, casas e comportamentos da sociedade como um todo estão longe de uma experiência verdadeiramente inclusiva. 

Em reunião com uma "moderna" ferramenta de gestão para restaurantes, ao questioná-los sobre a acessibilidade do menu digital tive como resposta: "acessibilidade de navegação? O que você quer dizer com isso?".

Ao mesmo tempo em que tecnologias específicas atendem diretamente pessoas com diferentes tipos de deficiência a realizarem as mais variadas tarefas do dia a dia com mais facilidade, o abismo digital traz números alarmantes quando menos de 1% dos sites brasileiros é acessível enquanto só no Brasil, são 17 milhões de pessoas com deficiência (IBGE). 

É um oceano azul de consumidores não contemplados pela maioria das experiências digitais de compra, entretenimento e consumo de informação. E trazer esse tema também para o centro dos debates de comunicação, marketing e tecnologia é trabalhar a conscientização não apenas de profissionais da área, mas de clientes e sociedade como um todo. 

Acessibilidade é aquilo que é intuitivo, prático e fácil para todo mundo. Nesse guarda-chuva, precisamos ter em mente não só PcDs, mas pessoas idosas, residentes de áreas com pouco acesso à Internet ou países subdesenvolvidos. Um produto acessível é aquele que todos conseguem usar. (eCommerce Brasil)

Por onde começar? Indo direto na fonte: consumindo conteúdos e experiências de pessoas com deficiência e ativistas da causa, como o movimento Web para todos. Afinal, "Nada sobre nós, sem nós" - lema que levanta o protagonismo das pessoas com deficiência na luta por na acessibilidade, educação inclusiva, oportunidades e uma sociedade mais acolhedora e empática. 

Você sabia que ao publicar uma foto no Instagram pode editar o texto alternativo que será lido pelos recurso de leitor de tela dos celulares? Que existe um avatar em libras que pode tornar seu site mais inclusivo? Que através desse link: https://asesweb.governoeletronico.gov.br/ você pode ter uma avaliação da acessibilidade de seu site e indicações de como melhorá-la?  

Que produzir conteúdo em vídeo sem legenda exclui 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual severa do debate e outras 1 milhão e 300 mil pessoas com deficiência cognitiva ou intelectual - isso só trazendo números do Brasil (IBGE). 

Simone Freire, diretora da Espiral Interativa e ativista da causa, levanta 8 das principais barreiras na acessibilidade digital:

  1. Problemas nos links
  2. Falhas na navegação por teclado
  3. Formulários que não funcionam
  4. Sem contrastes e zoom de tela
  5. Banners e pop-ups invasivos
  6. Sem descrição de imagens
  7. Sem audiodescrição
  8. Sem janelas de libras e sem legendas

A tecnologia avança a passos largos possibilitando a evolução do potencial humano nas mais diversas áreas, impactando indivíduos e sociedade. Do ponto de vista da acessibilidade, softwares e artigos de robótica sinalizam um novo universo para pessoas com deficiência.

É preciso quebra de paradigmas e um exercício constante de empatia para entendermos que o mundo é mundo mais diverso do que a nossa "bolha". As possibilidades são grandes e não é a deficiência que limita. Acessibilidade é mais do que inclusão, acessibilidade é direito.

Imagem via guiaderodas.com

 

Marketing na Era Digital
Amanda Pereira
Amanda Pereira Seguir

Jornalista pós-graduada em Planejamento Estratégico em Comunicação e Trabalho com foco em Estratégia de Comunicação e Marketing Digital. Mãe, empreendedora, experiência com desenvolvimento de estratégia, gestão de equipe e cultura digital.

Ler conteúdo completo
Indicados para você