[ editar artigo]

Acessibilidade digital: uma obrigação legal

Acessibilidade digital: uma obrigação legal

Sou jornalista de formação e preciso dizer a vocês o quanto a aula sobre Acessibilidade Digital me impactou e me tocou profundamente.

Segundo dados do IBGE, hoje, temos 45 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência. E mesmo com esse número tão expressivo “o mundo digital é inacessível”, frase dita pela jornalista Simone Freire, que ministrou essa aula.

E mesmo existindo a Lei Brasileira de Inclusão, infelizmente, nem todas as empresas consideram a acessibilidade em seus projetos de comunicação digital.

Sabe quando falamos diversas vezes durante as nossas conversas com os amigos sobre a necessidade de, muitas vezes, se colocar no lugar do outro? Depois de assistir essa aula, vi que, por diversas vezes esta é uma frase solta, sem ação, até porque nunca vamos conseguir nos colocar no lugar do outro, mas podemos sim, tentar entender as necessidades do outro, experienciando um dia como seria ter uma deficiência (visual, auditiva, motora, cognitiva, intelectual e múltipla), por exemplo. Na minha época de faculdade eu tive a oportunidade de visitar o Instituto Paranaense de Cegos de Curitiba, pude conhecer o trabalho que eles fazem lá e conversar com algumas pessoas que moravam lá. Nesse dia, os meus colegas e eu fizemos a experiência, é claro que assistida, de vendar os olhos de um de nossos amigos e dar uma volta na rua com um dos moradores do instituto com deficiência visual. Éramos estudantes de jornalismo, a ideia surgiu porque realmente queríamos vivenciar quais eram as dificuldades de uma pessoa com deficiência visual, sentir na pele. E para isso o texto deveria fazer sentido para nós e para as pessoas que estivessem lendo a matéria, queríamos tocar o coração de todos e sensibilizar sobre o poder da doação para instituições de caridade.

Contei essa minha experiência porque ela me fez sentir e para mim também fez sentido, como a Simone Freire, fala em sua aula. Devemos usar toda a tecnologia disponível e também todo o conhecimento sobre o assunto para transformar o mundo mais acessível em todas as esferas. Ainda é muito caro para muitas pessoas o acesso ao mundo digital, entretanto, se cada um fizer a sua parte no seu dia, seja no desenvolvimento de um site acessível para todos, seja na forma correta de se comunicar com pessoas com algum tipo de deficiência, seja na utilização de legendas em vídeos compartilhados nas redes sociais, seja na utilização/combinação de cores que sejam acessíveis para todos (considerar os daltônicos, por exemplo) ou na construção de textos curtos, claros e em ordem direta para as redes sociais, sempre imaginando o que podemos facilitar para pessoas e também ferramentas automáticas de adaptação.

Na prática, é ter sempre em mente que a acessibilidade é um direito de todos e que podemos fazer a nossa parte sempre que iniciarmos o desenho de um novo projeto de comunicação ou uma conversa com os amigos considerando um mundo mais acessível para todos.

#Façaasuaparte

#Abraceaacessibilidade

#Movimentowebparatodos

Marketing na Era Digital
Priscila Padilha
Priscila Padilha Seguir

Jornalista de formação, pós-graduada em marketing e especialista em marketing escolar. São mais de 22 anos de atuação nas áreas de marketing, comunicação e de relacionamento com clientes.

Ler conteúdo completo
Indicados para você