[ editar artigo]

Como criar uma comunidade online

Como criar uma comunidade online

Uma comunidade online é a forma encontrada por creators, empresas e marcas para reunir em um único espaço pessoas interessadas em um mesmo assunto. Nesse espaço, por meio da produção de conteúdo e das interações entre os usuários, surgem conexões que geram uma transformação real nos participantes, e podem evoluir para se tornar um ambiente único de aprendizado. Você quer aprender como criar uma comunidade online? Fique comigo até o fim. ;)

LEIA MAIS5 principais tendências de marketing digital para 2020 que você tem que conhecer

Mais do que uma ferramenta de marketing digital, comunidades online ajudam também na estratégia de relacionamento com clientes/usuários e — por que não? —  na geração de receita por meio de afiliados e da venda de cursos e assinaturas de conteúdo. 

Em resumo, aos poucos elas estão se tornando uma das principais ferramentas para quem deseja ter engajamento real no ambiente digital. Nesse artigo eu vou te contar porque você deve voltar sua atenção para elas e como você pode ser organizar para também criar a sua comunidade online.

O futuro do marketing digital

Pensar uma estratégia de comunicação digital é algo que sempre nos leva para o futuro. Um dia foi o e-mail marketing, em outro, os posts em redes sociais, e agora (e no futuro) será criar uma comunidade online. Mas por quê?

Colaboração e proximidade com o público

Um dos pilares da internet é a colaboração entre os usuários e a troca constante de informações — justamente o coração de uma comunidade online. Afinal de contas, ao contrário de blogs ou sites, é possível contar com uma participação ativa dos usuários. Eles saem da plateia e se tornam autores e protagonistas de tudo que está acontecendo.

Essa colaboração gera uma aproximação com o público muito maior do que em qualquer outra ferramenta de marketing digital. 

Para comprovar esse fato, vamos pensar na forma como funciona essa relação com os seguidores/fãs/admiradores em outras plataformas.

Redes sociais - Aqui a interação acontece por meio de likes, comentários e curtidas. Dá para saber o que seu público prefere, mas as interações são superficiais e limitadas pelo que cada plataforma oferece.

E-mail marketing - É possível passar mensagens mais profundas para o público, mas por outro lado, o feedback deles é menor, o que torna o canal menos interativo. Além disso, é uma relação mais impessoal do que as outras.

LEIA MAIS6 maneiras de aumentar o crescimento da sua comunidade online

SMS/WhatsApp -  Nem todo mundo gosta de receber e ainda menos de responder. Serve para recados, mas é quase impossível esperar receber um retorno dos receptores.

Comunidade online -  Você pode saber o que seu público gosta, dar espaço para ele opinar e produzir conteúdo, e ainda por cima tem controle sobre tudo isso. Um ambiente qu deixa você mais perto do público, e consequentemente, aumenta a relação de confiança dos seus seguidores com você, sua marca/empresa ou causa.

Além desta visão geral que já indica uma bom número de razões para criar uma comunidade online, em relação às outras plataformas, vamos ver alguns outros.

Redução de custos

Infelizmente boa parte das empresas ainda não investe como deveria no marketing digital, e a razão de tudo isso é mais simples do que parece: custos. Destinar uma parte dos recursos para divulgação e interação com os clientes na internet ainda não é prioridade para determinadas marcas.

Se você se encaixa em um destes casos, eu tenho uma notícia boa e uma ruim. A boa é que você não vai mais precisar gastar nenhum centavo com isso. A má é que sua empresa vai fechar.

Um dos maiores erros de quem investe em campanhas de marketing digital é achar que é apenas gastando muito que se obtém bons resultados. Isso faz com que boa parte das empresa opte apenas por dois caminhos: investir muito X investir nada.

Como criar uma comunidade online não requer grandes investimentos, este tipo de plataforma atende todos os segmentos. Desde uma grande empresa, até mesmo quem quer apenas um espaço para falar sobre determinado assunto, mas não pode gastar demais com isso. 

Investir em uma comunidade online é muito mais barato que um blog, e ainda por cima, pode contar com o conhecimento e o esforço de outros autores: não apenas de quem começou o blog. Em resumo, o ambiente estará sempre de acordo com o seu porte e a sua necessidade.

Próximo estágio do Inbound Marketing

Qualquer pessoa que já esteja um pouco familiarizada com marketing digital já deve ter ouvido falar do termo Inbound Marketing. Mas se você ainda não conhece, tudo bem. O Inbound Marketing é a metodologia de comunicação digital que se baseia na atração do interesse do (potencial) consumidor por meio do conteúdo, para só então, depois de ter a confiança dele, direcioná-lo para o fechamento — ao contrário das campanhas tradicionais que usam anúncios para conquistar um cliente.

Por muito tempo o principal caminho para colocar o Inbound Marketing em prática foi o Marketing de Conteúdo, geralmente usando blogs para hospedar o conteúdo. A ideia desta estratégia é similar ao Inbound e utiliza principalmente textos que gerem relevância e possam ser interessantes para potenciais clientes.

Podemos afirmar sem medo de errar que isso funcionou por um bom tempo (e ainda funciona para muitas empresas), mas por outro lado é visível que a fórmula já dá sérios sinais de cansaço. O motivo é simples: com o tempo o conteúdo produzido acabou ficando cada vez mais genérico e, por consequência, menos interessante para os visitantes. 

O resultado? Ofertas de conteúdo rico, como ebooks e infográficos, já não fazem mais tanto sucesso e nem geram tanto resultado como acontecia há alguns anos.

Nesse sentido, as comunidades online se apresentam como uma evolução dessa estratégia, um próximo passo para quem investe em Inbound Marketing. 

LEIA MAISComunidades de marca: como a sua empresa pode ter uma

Estes espaços oferecem conteúdos mais humanizados e menos pasteurizados, justamente por serem produzidos por “pessoas comuns” que sabem na pele como falar sobre determinado tema.

Ao criar comunidade de uma marca, causa ou assunto de interesse, gera-se uma atenção automática do público interessado naquele conteúdo, produzido organicamente. 

Pensando como um usuário de internet que está buscando saber mais sobre um tema, é fácil perceber como uma comunidade é muito mais atraente do que um simples blog de uma empresa. Afinal de contas, uma das máximas da internet não é que os usuários confiam muito mais em outros usuários, do que em marcas ou empresas?

Outro benefício são as informações colhidas dentro da comunidade. No Inbound Marketing "cru" o caminho percorrido pelo visitante leva ele de alguém que está procurando uma solução para um potencial cliente. 

Já em uma comunidade, este processo é mais profundo, pois é possível conhecer melhor quem são essas pessoas, quais seus assuntos preferidos, necessidades e opiniões, tornando muito mais assertiva qualquer oferta que o dono da comunidade tenha a fazer para essa pessoa.

As vantagens de criar uma comunidade como estratégia de marketing digital

As comunidades colaborativas representam uma nova era nas ações de comunicação, principalmente de marcas, empresas e creators. Ela rompe com o padrão tradicional estabelecido de emissor e receptor, e torna os usuários produtores de conteúdos, leitores e protagonistas das ações dentro deste espaço.

Além dos benefícios já citados anteriormente, como a aproximação com o cliente, existem outras vantagens percebidas ao criar uma comunidade online.

Melhora da relação com o público

Ser íntimo e ganhar a confiança de um cliente é o potinho de ouro no final de toda ação de marketing. Mas assim como nas fábulas, poucos conseguem atingir esse objetivo. Por que é difícil? Não, mas porque dá trabalho.

Conquistar a atenção de um consumidor e transformá-lo em um defensor de marca exige muita dedicação e paciência por parte de uma empresa. Agora pense comigo: como isso é possível por meio de um post em uma rede social?

Não é.

Para que você possa ter isso é preciso estabelecer vínculos duradouros e profundos, como relações de verdade mesmo. Ao criar uma comunidade online você consegue estabelecer aos poucos essa interação, entre você e os usuários, e claro, entre eles mesmos.

Com esse caminho aberto (após a entrada dos usuários) você consegue conhecer melhor os problemas, sonhos e desafios deles e assim entregar as soluções que ele precisa. Tudo isso de forma mais orgânica e sem ficar gastando milhares de reais em anúncios improdutivos.

Seu público é o seu público

Todo mundo que investe em marketing digital dedica uma parte do tempo e do esforço para as redes sociais. É evidente, elas oferecem muitos benefícios para quem decide entrar nessa jornada, mas existe um ponto que é essencial para entender porque criar uma comunidade online faz mais sentido do que investir apenas nas redes sociais.

Quando você direciona um esforço de comunicação e conteúdo para redes sociais como Facebook, Instagram e LinkedIn, você está colocando uma extensão do seu negócio nesses espaços. É quase como instalar uma filial em um shopping ou centro comercial, com apenas uma diferença: o público que interagir com você nesse espaço não é seu; é da rede social.

Pense comigo: não é possível acessar o Instagram, ou mesmo o Facebook, e exportar todos os seus seguidores ou fãs em uma planilha para que você possa ativá-los de outra forma. Ou seja, você faz todo um esforço de construção de audiência nesses espaços, mas se um dia resolve sair e trocar por outra plataforma, você perde todos aqueles contatos e tem que começar tudo de volta.

Portanto, todas essas pessoas que te seguem não são seu público, seus usuários; eles são usuários de cada uma das redes sociais. E isso torna seu trabalho refém de outra empresa que não tem nenhum (ou quase nenhum) compromisso com você. Se um dia eles resolvem mudar alguma coisa, e isso impacta de forma determinante sua estratégia, azar o seu.

Quando você investe para criar uma comunidade online fora de plataformas como essas redes sociais que eu citei, você fica livre desse problema, e na verdade, pode ter a sua "própria rede social".

Coloca o consumidor como número #1

Todo mundo gosta de se sentir valorizado, e com seus clientes e consumidores isso não é diferente. Demonstrar a importância não é apenas dar promoções ou descontos, mas também dar voz e palco para que seus clientes digam o que querem.

Esse protagonismo é um dos pilares das comunidades online, que possuem mais do que apenas participantes, pois todos podem ser autores e produtores de conteúdo dentro daquele espaço. No começo essa participação deve ser estimulada, mas com o passar do tempo ela se torna natural e as pessoas passam a “trabalhar” pela comunidade espontaneamente.

Isso só acontece pois os usuários percebem que são parte importante do processo, e não meros espectadores. Ao se sentir valorizado, o participante da comunidade passa a responder às ações propostas, interagir com o ambiente e com outros usuários, e com isso, torna-se um produtor de conteúdo orgânico.

Pode ser única ou complementar

Um dos principais trunfos de uma comunidade online é a versatilidade que ela oferece dentro de uma estratégia de marketing. Para quem deseja concentrar os esforços e recursos em apenas uma plataforma, é possível criar uma comunidade online e investir nela como um espaço completo para produção de conteúdo, geração de leads e relacionamento com o público.

LEIA MAISComo criar uma comunidade online com seus seguidores

Já quem possui um negócio — ou uma causa — com um plano de marketing e comunicação feito, mas deseja reforçar a estratégia, é possível também adicionar uma comunidade online. Ela funciona muito bem em companhia com trabalhos de e-mail marketing, Inbound Marketing (como já falamos) redes sociais, SEO, mídia paga, entre outras iniciativas deste segmento.

Outro ponto interessante que merece ser destacado é que o impacto gerado por uma comunidade é muito positivo e o custo-benefício é excelente para quem deseja adicioná-la a um projeto de marketing.

A comunidade como estratégia para o futuro do e-learning

Aprender é algo que nunca deixamos de fazer na vida, e com a internet essa percepção sobre a educação está mais evidente do que nunca. Adivinhe só? Sim, a tendência é o crescimento! 

Dentre as alternativas nesse segmento, podemos dizer que a menina dos olhos para os próximos anos deve ser a educação continuada. Ou seja, o processo de aprendizado que não tem começo, meio e fim, mas sim que acontece ao longo da vida das pessoas e de acordo com as necessidades específicas das pessoas em cada momento da vida.

Conhecido como lifelong learning, esse processo de educação contínua encontra nas comunidades online a plataforma perfeita.

Educação a qualquer hora

A época em que os estudos se encerravam na faculdade ficou no passado. Por conta da rede mundial de computadores é possível aprender durante a vida toda e sobre os mais diversos temas, quando quiser e da forma que você preferir. O que manda é a necessidade do aluno.

Além disso, a imensa maioria dos cursos disponíveis não costumam exigir que os interessados tenham uma formação acadêmica prévia, sendo assim mais acessíveis e democráticos na difusão do ensino. Dessa forma. o interessado não precisa ser graduado anteriormente, o que deixa o curso mais convidativo para leigos ou pessoas que são familiarizadas com o tema, mas ainda não são formadas.

Ao criar uma comunidade online para debater um tema é possível também ofertar cursos ou assinaturas de conteúdo premium, que ampliem a discussão e fomentem o conhecimento. Essas plataformas se tornaram perfeitas também para especialistas sobre determinados temas — os experts — falarem sobre eles para quem estiver interessado em ouvir, e o melhor: sem precisar da intermediação de uma instituição formal de ensino.

Após construir uma sólida base de usuários é possível ofertar cursos sobre os assuntos que você ou especialistas convidados dominam para ampliar o conhecimento dos participantes. Além disso, os cursos online são uma das principais formas de monetização das plataformas e podem até ser uma ótima fonte de renda.

Comunidade: a aliada perfeita para o lifelong learning

Nos últimos anos vimos uma explosão do ensino a distância, com cursos livres, graduações, pós graduações e tutoriais sobre praticamente qualquer assunto que podemos imaginar. Esse movimento vem de encontro com o papel das comunidades online: o de agregar pessoas com interesses em comum.

Vendo por esse prisma, era inevitável imaginar que cedo ou tarde criar uma comunidade online e criar um curso se tornassem ações conjuntas. Pois é exatamente isso que vem acontecendo!

LEIA MAISSocial Learning: como os millennials estão mudando a educação online

Uma das maiores críticas sobre o EAD era a falta de interação com os colegas de curso sobre os temas abordados nas aulas. Essa troca de informações, conteúdos e debates é essencial para o aprendizado e contribui de maneira efetiva para o ensino e a evolução dos alunos durante as aulas. 

Na comunidade online essa história é diferente, afinal de contas o ensino já acontece em um ambiente coletivo e considerando a troca entre os alunos como parte do processo. Usando a base já construída de usuários é possível promover um relacionamento interpessoal entre os alunos assim como em uma sala de aula tradicional.

Isso acaba com os argumentos contrários ao EAD e consolidam este método de ensino como o formato de educação do futuro: rápido, eficaz, transformador e com conteúdo.

Como criar uma comunidade online

Agora que nós já entendemos tudo sobre o contexto onde estão inseridas as comunidades, chegou de entender como criar uma comunidade online. 

Toda comunidade online deve ser criada com um propósito, algo em comum que faça com que as pessoas se sintam motivadas a entrar e participar deste ambiente. Um erro muito comum, principalmente em comunidades de marca, é acreditar que a plataforma deve ser utilizada como espaço para divulgação de produtos ou serviços.

Pelo contrário, a comunidade precisa ser ocupada com conteúdos relacionados a algum assunto que faça sentido para você, dentro do segmento que quer atingir, mas que não necessariamente falem sobre produtos e serviços. A ideia é que sejam conteúdos úteis e relevantes para quem vai ler, que motivem o leitor a voltar mais vezes à comunidade, se cadastrar, participar ativamente, e também, produzir.

Boas comunidades são aquelas que possuem causas e assuntos que geram engajamento entre os usuários, seja qual for o tema. Para a empresa que está pensando em criar comunidade, é importante ter em mente que ela faz parte de uma estratégia de marketing e não apenas de vendas.

Criando a comunidade

Após a definição do tema da comunidade é hora de escolher a plataforma onde ela será hospedada. Para tomar a melhor decisão é preciso levar em consideração alguns fatores importantes e necessários para o desenvolvimento deste projeto.

Boas plataformas devem oferecer todas as condições necessárias para a criação de conteúdo, interação entre os participantes e demais ações, como o ensino a distância.

Na duopana, a plataforma foi pensada para atender todas as necessidades de quem está criando e gerenciando uma comunidade online. Além de todas as ferramentas principais, como a publicação de conteúdos, a interação entre os participantes e a plataforma de e-learning, os administradores ainda possuem todas as informações sobre os usuários, publicações e um analytics super completo e rico em dados.

Isso faz com que você possa sempre planejar as melhores ações, dentro e fora da comunidade, para atender seu público com aquilo que ele mais procura.

“Criei uma comunidade, e agora?”

Criar uma comunidade e colocá-la no ar é apenas “a ponta do iceberg” desse projeto. Mas não se assuste, as coisas vão ficar cada vez mais interessantes.

Um dos problemas de gerentes de comunidades online nesta fase inicial é a de atrair participantes e conseguir mais engajamento. Para superar essa dificuldade inicial confira algumas dicas importantes abaixo:

Convide escritores

Uma das causas para que as pessoas não se interessem pela sua comunidade é a falta de conteúdo presente nela, principalmente no início. Felizmente, isso pode ser resolvido facilmente, convidando algumas pessoas para participar, e depois, escrever.

Esses primeiros autores possuem um papel muito importante de atrair novas pessoas por meio do conteúdo e impedir que a comunidade fique vazia, pois iss causa uma péssima primeira impressão em quem visita pela primeira vez.

Perceba que não são quaisquer pessoas. É importante que sejam pessoas mais próximas a você, engajadas, e que vão ajudar ativamente na construção da sua comunidade online.

Tenha (ou seja) um gerente de comunidade

Para que este projeto dê certo é necessário dedicação. Por isso a figura de um gerente de comunidade é essencial para a gestão de tudo o que envolve uma comunidade online.

Este profissional será o responsável por elaborar ações para convidar novos participantes, manter a comunidade atualizada com conteúdo, aumentar o engajamento dos usuários e manter o ambiente sempre ativo e com discussões relevantes.

Sua casa, suas regras

Uma das principais vantagens de uma comunidade online é que você é quem dita as regras a serem seguidas. Isso é muito bom, mas ao mesmo tempo aumenta sua responsabilidade.

Estabelecer um código de conduta é necessário para deixar claro como aquele ambiente funciona, e mais do que isso, auxiliar a futura tomada de decisões mais difíceis, como a exclusão de um conteúdo, um comentário ou até mesmo um usuário.

LEIA MAISBlog colaborativo: entenda como funciona e veja 5 dicas para fazer o seu

Apesar de parecer complicado, estabelecer regras claras dá ordem e mantém o ambiente controlado e agradável para você e todos os participantes. Além disso, torna mais seguro e acolhedor para quem está entrando agora.

Proponha ações

Com o tempo, a participação dos usuários será orgânica, mas até isso acontecer é importante manter uma programação com ações que estimulem a participação.

Sejam campanhas temporárias, fomentação de comentários e publicação de artigos ou qualquer outro conteúdo, é preciso manter o ambiente ativo e “vivo”. Uma boa alternativa é recompensar os usuários mais participativos, assim você mantém ao seu lado quem já trabalha pela comunidade e ainda atrai novas pessoas para colaborar.

Em linhas gerais, qualquer tipo de iniciativa que tenha potencial para ajudar a manter a comunidade online ativa sempre será bem-vinda.

Engajando a comunidade

A relação entre uma comunidade online e o engajamento é intrínseca. Podemos dizer que o engajamento é o sangue que mantém o propósito de uma comunidade online vivo.

Cada fase de uma comunidade exige diferentes ações, mas o engajamento permeia todas elas. Mesmo que não seja a principal, a necessidade de ter participantes ativos se faz presente em praticamente todos os momentos da vida deste tipo de projeto.

Engajar não é só interagir com a comunidade

Quando se fala em engajamento, a maioria das pessoas pensa que isso ocorre apenas quando um participante da comunidade escreve um post ou compartilha uma publicação. Devemos dar muito valor para ações maiores como essas, é claro, mas por outro lado gestores de comunidade preocupados também não devem deixar de lado as interações entre os usuários. 

Quando dois ou mais usuários trocam informações e interagem é gerada uma conexão entre eles, e esse é um dos pilares essenciais que devem estar presentes desde o momento que você decide criar uma comunidade online. Afinal de contas, as pessoas são o elemento mais importante de uma comunidade online, e não o conteúdo.

A relação entre os participantes é a razão deste ambiente existir, caso contrário seria apenas um blog colaborativo normal. Na comunidade essa troca entre os participantes dever ser sempre apreciada e estimulada.

Seja nos comentários, conversas particulares ou grupos de discussão de um curso, sempre que puder haver uma interação, ela deve acontecer. No início é importante a participação do gerente de comunidade, até mesmo para estimular essas conexões, mas com o tempo isso tende a ser mais natural e precisará de menos intervenções.

Quer começar agora? 

Como você pode ver até aqui, entender como criar uma comunidade online faz parte de um processo que envolve vários aspectos. Além da vontade de começar e do propósito para motivar essa jornada, um dos primeiros estágios é a escolha da plataforma para hospedar a sua comunidade.

É por isso que hoje quero te apresentar a duopana, a plataforma onde está hospedada essa comunidade aqui, o Marketing de Engajamento. Ela foi feita exclusivamente para você reunir em um único ambiente pessoas que estão interessadas no mesmo assunto e ainda não tinham encontrado um espaço adequado para se conectar.

Como criar uma comunidade online é o futuro do marketing digital, nós acreditamos que você precisa de um ambiente que ofereça todas as condições necessárias para ter o seu próprio espaço e também agregar esta plataforma em seu plano de comunicação.

Por que duopana?

Muitas pessoas acreditam que criar uma comunidade online é muito difícil ou que é necessário um grande conhecimento em marketing digital, mas isso não é verdade. O mais importante é ter disposição para gerenciar a comunidade, estimular o engajamento dos usuários e conquistar novos participantes.

A melhor parte é que ao criar uma comunidade online duopana você já tem acesso aos principais recursos que precisa para ter sucesso nessa jornada:

  • Ambiente seguro e otimizado para os buscadores.

  • Possibilidade de publicar conteúdos em diversos formatos.

  • Plataforma de EAD conectada à comunidade e pronta para monetizar.

  • Estatísticas individuais para cada usuário.

  • Possibilidade de exportar a lista de participantes.

  • Criação de grupos, abertos ou fechados, para temas específicos.

  • Login descomplicado e facilidade de cadastro para novos usuários

  • E muito mais! Veja aqui todos os recursos disponíveis


Seja você uma pessoa que deseja reunir interessados em um tema, ou alguém que apoia uma causa, ou mesmo uma empresa querendo investir em marketing digital, a duopana é a plataforma de construção de comunidades que você estava procurando. Se quiser ver com seus próprios olhos aproveite para criar a sua gratuitamente agora mesmo.

Aproveite também para conferir nossos artigos que vão te ajudar a entender como criar uma comunidade online e também como ter sucesso nessa estratégia que é o futuro do marketing digital.

Marketing na Era Digital
Marcus Pereira
Marcus Pereira Seguir

Conteúdo e Inbound Mkt @ Duopana

Ler matéria completa
Indicados para você