[ editar artigo]

Como funciona o Algoritmo do LinkedIn e como fazer posts de qualidade com base nele

Como funciona o Algoritmo do LinkedIn e como fazer posts de qualidade com base nele

Assim como o Facebook e o Instagram, o algoritmo do LinkedIn prioriza o conteúdo com maior probabilidade de você achar relevante e se envolver com o mais recente dentro desse contexto.

Isso não significa que você precisa postar 20 vezes por dia. Embora você deva postar regularmente ao longo do mês, o algoritmo do LinkedIn favorece publicações relevantes.

Mas não depende somente do seu post. Em geral, o conteúdo é classificado e exibido com base na reputação da sua conta, como os usuários se engajaram com conteúdo antes e o que mais está sendo publicado na rede. Eis como funciona:

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Etapa 1 – Content Quality Scoring

Sempre que você publica alguma coisa, o algoritmo de feed do LinkedIn determina se é spam, de baixa qualidade ou se é bom. Mais adiante veremos o que é um post de qualidade.

Etapa 2 – User Flagging

Se você passou, seu conteúdo aparece temporariamente no feed. Durante esse estágio, os robôs do LinkedIn analisam como seu público se envolve com o conteúdo.

Se eles estão engajando, é um bom sinal de que você conseguirá passar para a próxima etapa.

Se as pessoas o marcarem como spam ou o ocultarem do feed, o LinkedIn penalizará seu conteúdo.

Vale observar que o horário da sua publicação pode afetar seus resultados, apesar do algoritmo não ser baseado em ordem cronológica. Quanto mais rápido o post tiver likes e comentários, melhor o algoritmo do LinkedIn classificará sua postagem. Portanto, uma das melhores maneiras de otimizar o alcance é postar quando os usuários do LinkedIn estão online e você também para poder interagir.

Etapa 3 – Content Filtering

Nesta etapa, o algoritmo analisa você e sua rede para determinar se essa é uma postagem de uma conta com muitos seguidores, spam ou não, e se sua rede irá apreciá-la (eles chamam isso de Modelo de Regressão Logística). Isso ocorre porque o LinkedIn quer evitar recompensar somente contas grandes e conteúdos negativos com visibilidade viral.

Se for negativo, o LinkedIn pode remover seu conteúdo do feed ou exibi-lo com menos frequência.

O algoritmo do LinkedIn mede a afinidade de uma postagem com os interesses de alguém com base nos grupos em que eles pertencem, nas hashtags que seguem ou escrevem, e também pessoas, influenciadores e páginas que eles seguem. Por isso é importante você seguir pessoas, influenciadores, hashtags e grupos do seu setor. 

Etapa 4 – Human Editors (Ativado em caso de muito engajamento e alcance)

Finalmente, os humanos entram no processo. Neste ponto, os editores revisam sua postagem para determinar se ela deve continuar sendo exibida, se pode inclui-la em outro lugar como um canal ou se podem obter sugestões para futuros ajustes de algoritmos e desenvolvimento de produtos.

Eles querem saber: por que exatamente sua postagem está se saindo tão bem?

O LinkedIn é claro sobre o tipo de conteúdo que deseja exibir.

Enquanto houver engajamento, seu post permanece aparecendo, continuando sua jornada algorítmica pelo feed.

É por isso que às vezes você vê posts no seu feed de semanas atrás, algo que você definitivamente não veria nos feeds do Facebook, Instagram e Twitter.

A beleza do algoritmo do LinkedIn é esta: enquanto seu post estiver com bom desempenho, ela continuará sendo exibida no feed.

O objetivo da classificação do feed no LinkedIn é ajudar seus usuários a descobrir as conversas mais relevantes que os ajudarão a se tornarem mais produtivos e bem-sucedidos. A relevância é determinada por esse objetivo, que otimiza o post para três componentes principais: o valor para o usuário primário que recebe o post, o valor para a rede desse usuário (segundo nível da rede) e o valor para o próprio criador da postagem. Veja na imagem abaixo a ilustração disso.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Essa é uma rede profissional, portanto, eles recomendam que um post de qualidade:

  • Seja relevante para seu público e sua marca – Use @menção para atrair outras pessoas que você conhece para uma conversa. Quando você achar que conhece alguém que terá algo valioso a acrescentar à discussão, mencione-as. No máximo cinco é uma boa sugestão.
  • Tenha um valor especial para a carreira de alguém, como dicas para seu crescimento profissional
  • Tenha relevância na indústria em que você atua - Portanto, se você deseja maximizar seu resultado, considere seu nicho de atuação e um público específico, use hashtags relevantes nesse contexto (O LinkedIn recomenda no máximo 3) e faça perguntas ou reflexões que podem ajudar a impulsionar uma discussão profissional.
  • Seja de uma fonte confiável (refere-se a você e a qualquer site ao qual esteja compartilhando) - Poste coisas que incentivem uma resposta - por exemplo, se você estiver postando um link, expresse sua opinião junto.

Segundo o próprio LinkedIn, os posts com imagens recebem o dobro de comentários que as de texto e os vídeos têm cinco vezes mais chances de receber comentários. No geral, os vídeos do LinkedIn ganham três vezes mais engajamento do que as publicações somente de texto.

Se você for curioso e quiser saber como funciona o modelo pela ótica da engenharia de computação, acesse o blog da engenharia do LinkedIn e entenda com maior profundidade os modelos de machine learning aplicados em seu algoritmo. https://engineering.linkedin.com/blog/2019/06/community-focused-feed-optimization

Deixe aqui nos comentários o que você achou desse sistema de classificação! Quais dessas dicas você achou mais relevante para seus posts?

Marketing na Era Digital
Rafael Kiso
Rafael Kiso Seguir

Fundador e CMO da mLabs. 20 anos de carreira no mercado digital Advisor da Focusnetworks - consultoria de transformação digital Publicitário com MBA em Marketing pela HSM, especialista em Gestão da Inovação pela ESPM.

Ler conteúdo completo
Indicados para você