[ editar artigo]

E-commerce na pandemia

E-commerce na pandemia

Como em qualquer crise, há negócios que perdem e outros que vencem. O avanço do coronavírus gerou um boom de compras e pedidos online no último ano, fazendo as plataformas de comércio online crescerem exponencialmente.

O aumento no volume de transações de e-commerce refletem nas medidas preventivas e de isolamento social da população, que atinge diretamente às atividades do comércio presencial.

Essa nova forma de consumo mostra uma tendência clara, o mundo está cada vez mais digital.

A mudança no comportamento do consumidor

À medida que o coronavírus continua a se espalhar, associadas às medidas de restrição da circulação das pessoas pelo mundo, podemos começar a perceber os sinais de mudança no comportamento do consumidor.

Os consumidores estão mais cautelosos ao fazer compras em lojas físicas e estão se voltando cada vez mais para o e-commerce como um meio seguro para obter suprimentos básicos.

Portanto, quanto mais os consumidores recorrem às opções digitais como forma de contornar os ambientes físicos de compras, cria-se novos hábitos de consumo.

Consumidores mais conectados e digitais será o novo normal, e esse movimento poderá ser visto em todo mundo. Com isso, observando os novos padrões, as empresas também estão começando a se adaptar às novas perspectivas.

O fato é que todos sairão mais digitais do isolamento, seja pessoas ou empresas. E apesar do consumo digital já ser algo que vinha ocupando espaço na rotina de compra das pessoas, ele vem sendo essencial, e conquistando públicos que ainda não tinha alcançado.

O efeito da quarentena no E-commerce brasileiro

Enquanto lojas físicas estão fechando ao redor do Brasil como medida para evitar a propagação do coronavírus com a aglomeração de pessoas, as empresas que possuem comércios online têm vivenciado um crescimento significativo no tráfego de suas plataformas, e respectivamente de suas vendas.

No primeiro momento, após o início do isolamento social, as empresas viram suas ações cair de forma repentina, principalmente aquelas que dependem do comércio físico. Mas, como a grande maioria já se encontra também no mundo digital, a situação se reverteu.

Com isso, gigantes empresas brasileiras vêm se beneficiando com as altas no mercado, causadas pelo aumento das vendas online, como por exemplo Magazine Luíza, Mercado Livre e Casas Bahia.

Setores que mais cresceram

Alguns estudos já trazem as estatísticas que mostram os setores que mais cresceram tanto em volume de vendas, quanto no faturamento com o comércio online durante a pandemia, como por exemplo supermercados, farmácia, artigos esportivos, games online e principalmente os aplicativos de entrega.

Aplicativos de entrega

As empresas de delivery tiveram um grande aumento no último ano.

Porém, esse crescimento dos serviços de entrega já era uma tendência, fomentando novos modelos de negócios e apresentando crescimento ano após ano.

Mais com as medidas de isolamento sendo adotadas, o delivery passou a ser um dos principais recursos das pessoas para realizarem suas compra, e os impactos que as empresas tiveram com as vendas online foram enormes, onde os produtos mais procurados pelos usuários de aplicativos de entrega os itens de farmácia, restaurantes e supermercados.

Como iniciar no e-commerce durante a pandemia

Os números do e-commerce no Brasil estão cada vez mais atraindo novos empreendedores para o mundo digital. Com a pandemia, muitas empresas viram no comércio eletrônico uma forma de salvar seus negócios da crise.

É um mercado que conta com novas oportunidades de negócio, e como sabemos, todo grande negócio começa com uma grande ideia. Porém, mesmo as melhores ideias não alcançarão o sucesso sem um planejamento.

Por isso, antes de colocar o seu dinheiro em um novo projeto é bom avaliar os riscos e determinar os objetivos para obter o retorno desejado. Veja algumas dicas para avaliar antes de introduzir sua empresa no mundo digital:

1. Escolha a sua plataforma

Muitas empresas ao entrarem no mundo digital, buscam se associar a marketplaces que já são conhecidos. Primeiro pela comodidade e facilidade de utilizar uma plataforma pronta, e segundo por acreditarem ter menos trabalho para atrair seus clientes.

Porém, para uma empresa que ainda é desconhecida, não aparecer de forma relevante dentro de um site pode não ser uma boa opção. Em alguns casos, contar com toda a infraestrutura provida por uma grande marca realmente pode fazer sentido. Mas é uma questão a ser avaliada.

Existem muitas formas de construir o seu negócio online, utilizando plataformas de software, sites ou aplicativos. A vantagem de ter o controle de sua própria plataforma é que você poderá potencializar o seu lucro, além de realizar todas as campanhas de marketing necessárias à sua empresa.

2. Economia de escala

Mesmo que você produza todo o seu produto é importante ter controle da cadeia de produção como um todo, desde fornecedores até a logística e meios de pagamento.

Diante do momento que estamos vivendo, considere que o seu negócio irá crescer um dia e o site precisará estar pronto tanto para suportar um aumento do número de acessos, ter estoque dos seus produtos, pagamento em outras moedas, taxas e impostos etc.

Nesse caso, ter sua própria plataforma pode ser uma vantagem também. Uma vez que você estará por dentro de todo o desenvolvimento dela, colocando as funções que mais fazem sentido para você, além de ser mais fácil personalizar quando necessário.

3. Crie uma boa experiência

Como sabemos, a inovação é algo inevitável nos dias de hoje para que uma empresa entre no mercado e se destaque. Para isso, não precisa de muito, o mais importante é oferecer aos seus clientes uma boa experiência de uso da sua plataforma. É importante facilitar todos os processos para que na hora de encontrar um produto, ou realizar o pagamento, você consiga se destacar.

Nessa etapa é muito importante contar com bons profissionais, que irão te ajudar a minimizar todas as etapas no seu processo de venda, deixando tudo mais fácil para você e seus clientes.

Conclusão

O E-commerce sem dúvidas foi umas das ferramentas mais essenciais nesse período para que as empresas sobrevivessem, e para que as pessoas pudessem continuar com seus hábitos de consumo.

Além, de que ele oferece muitas oportunidades para novos empreendedores, especialmente num momento de isolamento que não sabemos quanto tempo irá durar.

A única certeza é que mesmo depois que tudo passar muitos hábitos irão mudar. E vários dos consumidores que agora estão realizando a sua primeira compra no mundo digital irão criar uma forma de consumo, buscando cada vez mais o conforto e a praticidade de realizar suas compras no mundo digital.

TAGS

e-commerce

Marketing na Era Digital
Ana Carolina Del Vigna Missé
Ana Carolina Del Vigna Missé Seguir

Formada em Design Digital pela Universidade Anhembi Morumbi.

Ler conteúdo completo
Indicados para você