[ editar artigo]

E-commerce: o que saber antes de começar?

E-commerce: o que saber antes de começar?

Puxado pelo mundo  físico e diante de tantos avanços tecnológicos, os negócios de varejo no meio digital vêm invariavelmente batendo recordes.  Embarcados em  tecnologia e com estratégias de marketing, o e-commerce (comércio eletrônico)  teve seu maior aumento dos últimos 20 anos.

Se considerarmos apenas o varejista que vende seu produto para o consumidor final já é uma marca audaciosa, mas considere nesse modelo toda  cadeia de fornecimento e de parcerias, que vai desde as aquisições de insumos para fabricação e compra de produto acabado,  provedores de softwares, logística, sistema  de gestão (RP) , instituições financeiras e bancárias entre outros, que se beneficiam com a modalidade.

Ainda assim, um contingente de empreendedores e empresários acreditam que criar um e-commerce é só transferir suas operações para o mundo virtual e as coisas acontecerão. Mas, na verdade, é bem diferente, ou pelo menos deveria ser. Um fato é certo, o e-commerce em pouco tempo deixou de ser uma opção para ser uma obrigação. Aprendemos a navegar na internet para buscar informação, e agora para pesquisar, comparar e comprar  num mundo virtual de infinitas opções , porque  fazer compras online  é um destino sem volta. Os hábitos de consumo mudaram e deverão continuar a mudar diante das inovações que a tecnologia nos oferece.

Para começar um e-commerce todo empreendedor deveria pensar em primeiro experimentar seu negócio, sua proposta de valor. Nos Estados Unidos, berço dessa modalidade de compras, acontece de forma invertida do que no Brasil. Para um empreendedor americano, a lógica é começar pequeno sem transportar toda sua experiência de balcão para o online. Em primeiro lugar a máxima de perguntar ao cliente permanece. Se é para começar pequeno, enxuto, então é necessário saber o que seu potencial cliente deseja. É obrigatório fazer uma persona do seu público alvo, entender as dores e seus anseios, buscar aproximar ao máximo da assertividade. Entendendo isso, criar conteúdos para atrair o cliente em outras plataformas de relacionamento como Instagram, Facebook e  YouTube, por exemplo.  Investir em conteúdo específicos para sanar dúvidas em relação as dores do seu potencial cliente. Seja relevante dando respostas e pimpa , o produto !

Com isso, já pode começar a pensar em fazer o e-commerce acontecer. Mas antes, valide de fato sua ideia com poucas e importantes vendas para um público ainda pequeno para verificar a relevância do produto. Avalie ainda  se existe  constância nas vendas, e se isso vira uma rotina de compras, então, está na hora de pensar na plataforma que será usada. E como hoje tem muitas disponíveis, a sugestão é, comece com uma que já está no mercado e que tenha boa reputação, claro ! a não ser que você já pense em vender mais de um milhão de Reais já no primeiro mês, se esse é seu caso, boa sorte e parta para sua própria plataforma. Mas, a maioria começa mesmo é pequeno, então é hora de aprender primeiro para depois voar em carreira solo.

De qualquer maneira, em qualquer escolha, é preciso saber que um ecommerce é um meio de vendas, e para vendas sempre vale as regrinhas de ouro, como não deixar faltar produto, comprar na hora certa e não estocar demais, ficar atento ao que a concorrência faz e com as tendências do mercado, saber precificar, cobrar, entregar e comunicar. A internet e o e-commerce são os meios para uma nova maneira de relacionar e vender produtos e serviços, mas quem compra e busca sanar alguma falta ou carência, é um humano e como tal precisa e merece de atenção, cuidado e se sentir único mesmo no universo de massificação que se tornou os meios digitais. Se tomar esses cuidados, você poderá ter muito sucesso nessa jornada !

 

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você