[ editar artigo]

Game Marketing

Game Marketing

Vários estudos realizados em todo mundo mostram que o mercado de games cresceu muito durante a pandemia. Uma pesquisa realizada em 2021 pela PGB (Pesquisa Games Brasil) mostra que 46% das pessoas jogaram mais games durante o período de isolamento social, ou seja, foi uma forma que as pessoas buscaram para entretenimento e diversão dentro de casa.
Segundo a pesquisa feita pela Newzoo, e divulgada durante o BIG Festival 2021 (Brazil’s Independent Games Festival), o Brasil é o maior em receitas de jogos da América Latina e o 12º do mundo.
De acordo com estudos do instituto de pesquisa NPD e da ESPM, em relação ao perfil dos jogadores, o público feminino já é maioria, sendo 52,6% mulheres, enquanto 47,4% são homens. Sendo as faixas etárias distribuídas em: 25 a 34 anos (34,8%), 16 e 24 anos (31,5%), e 35 até 54 anos (27,2%).

Mesmo que o cenário de isolamento social já tenha se flexibilizado o consumidor mudou. Com o surgimento de novas tecnologias e formatos de interação, as pessoas passaram a desejar conteúdos diferenciados, que tenham grande poder de despertar interesse, ou seja, o mercado de game se mantêm aquecido e investir em estratégias de Game Marketing pode ser uma excelente estratégia para divulgação, popularização, fidelização e vendas de produtos.
Há anos, marcas como Adidas e Nike já se associam a games de futebol como FIFA e o game de ação Fortnite, fortalecendo sua marca e fidelizando milhões de consumidores que por meio dos próprios jogos podem comprar produtos.
O Game Marketing é uma estratégia focada na divulgação de uma empresa, produto ou serviço por meio de jogos.  A vantagem desta estratégia é que a participação dos consumidores é voluntária, que por meio dos jogos busca se divertir e distrair, já para as empresas a  promoção de uma marca acontece em momentos de lazer resultando em uma experiência mais natural para o usuário.

A promoção da marca pode ocorrer por meio de um jogo próprio, ou em jogos de terceiros e as aplicações são variadas. Por exemplo, os jogos de corrida, em sua totalidade possuem carros de modelos reais, fortalecendo assim a marca e marcando presença. Em jogos de esporte existem as placas de publicidade ao qual são expostas publicidades reais, fazendo com que a propaganda seja mais natural e menos intrusiva. Esta prática de anunciar marcas, produtos e serviços nos games tem se tornado cada vez mais comum e são os chamados advergames.

O uso da gamificação também é uma poderosa estratégia para aumentar o engajamento e os resultados onde se mantem o usuário entretido e focado em um determinado assunto, oferecendo prêmios e recompensas proporcionando a sensação de conquista. 
Um case para exemplificar o uso da gameficação é o da Starbucks que investiu no “My Reward” (ou “Minha Recompensa Starbucks”, em português). A cada produto consumido na loja, os usuários acumulam estrelas no jogo, que pode gerar recompensas exclusivas para os clientes mais frequentes. O programa já totalizou uma média de 4,5 milhões de usuários ativos e rendeu uma média de US$ 3 bilhões em vendas por ano.

Entre as opções de game marketing não podemos deixar de citar os eSports  (esportes eletrônicos) que estão muito populares em todo o mundo e de acordo com dados da agência Newzoo, a movimentação financeira envolvendo eSports no mundo superou o seu primeiro bilhão de dólares em 2019. A estimativa é de que 82% desse valor seja referente aos direitos de mídia vendidos para a transmissão dos eventos, bem como propagandas e patrocínios.
Existe uma variedade de tipos de eSports sendo praticados pelo mundo. Algumas modalidades, porém, fazem mais sucesso no competitivo do que outras, como o FPS (exemplos: CS:GO, Call of Duty, Rainbow Six e Overwatch) , o Battle Royale ( exemplos: PUBG, Fortnite e H1Z1), Simuladores ( exemplo: FIFA, PES, Gran Turismo e NBA 2K.), MOBA ( exemplos: LoL, DotA 2, Smite e Heroes of the Storm).
A marca Gillette tem desenvolvido importantes projetos de eSports ao redor do mundo, como o Gillette Gaming Alliance, parceria entre a marca e doze dos principais streamers mundiais, focado em trazer ainda mais visibilidade aos eSports, contemplando diferentes modalidades, como LOL, Clash Royale, Fortnite, etc.  A Gillete reafirma a conexão com os eSports e anuncia renovação do patrocínio de um dos maiores campeonatos de eSports do Brasil, o CBLoL (Campeonato Brasileiro de League of Legends)

As projeções da Newzoo indicam que, em 2021, cerca de 30 milhões de pessoas no Brasil vão consumir conteúdos de games de alguma maneira, seja jogando, seja assistindo.
As visualizações de games em streaming também estão crescendo, pois além de jogarem juntas, as pessoas estão formando comunidades online altamente engajadas, em plataformas que as permitem assistir e comentar os games em tempo real.
O Youtube é a plataforma mais acessada para consumo de conteúdo de jogos. Um levantamento realizado em 2020 apontou que a plataforma teve 100 bilhões de horas assistidas e mais de 40 milhões de canais de jogos. Uma outra plataforma pioneira do mercado é o Twitch que permite aos usuários assistir vídeos de jogos profissionais. O fato de a plataforma receber mais de 2 bilhões de espectadores por hora é um indicador da demanda potencial pelo serviço de streaming de jogos.

Os jogos conectam milhões de pessoas em todo o mundo, e todos estão atrás de experiências virtuais que os ajudem a cultivar relacionamentos, tanto os já existentes quanto os novos. O Game Marketing é, portanto, uma excelente estratégia para empresas e marcas que buscam um diferencial competitivo para se destacar em um mercado cada vez mais disputado.


Quer investir em Game Marketing e não sabe por onde começar? Uma boa dica é buscar agências especializadas neste setor conheça algumas nestes posts do site influencer Marketing Hub : Agências de Marketing de Jogos  e Agências de Sports.

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você