[ editar artigo]

Marketing digital: até parece novo, mas ainda é marketing

Marketing digital: até parece novo, mas ainda é marketing

Muitas vezes ao se estudar um determinado tema em profundidade acaba sendo inevitável dar-lhe um foco tão expressivo a ponto de torná-lo praticamente uma ciência específica. É o que acontece, muito comumente, com o marketing – aqui, no caso, marketing digital.

Antes de mais nada é preciso alinhar que Marketing Digital não existe. O que existe é Marketing. Isso porque em sua essência, a mercadologia trata de uma função organizacional com o objetivo de realizar trocas que sejam satisfatórias para todas as partes envolvidas. E nesse sentido continuam válidas todas as estruturas já teorizadas, como a dos 4 Ps, por exemplo, que é básica.

Se pararmos para analisar, o Produto continua sendo a oferta, desta vez com a possibilidade de uma roupagem digital. Nessa mesma versão podemos encontrar o Preço, que pode ser uma moeda digital (criptomoeda) e ainda ser pago sem papel moeda. A Praça há muito tempo deixou de estar apenas em ambientes físicos para fazer parte de lojas virtuais e marketplaces. Ainda nesse contexto digital a Promoção ganhou novos tentáculos, permeando diversas mídias digitais (tanto display, quanto áudio e vídeo), páginas digitais e plataformas de redes sociais.

A experiência também evoluiu se estendendo para o mundo virtual. Contudo, isso não altera em nada a essência do marketing. Apenas ampliamos o composto mercadológico para uma versão digital.

Podemos ver anúncios online em áudio e vídeo segmentados, consumir informação em podcasts, comprar comida através de uma assistente virtual e optar por um serviço delivery através de aplicativos no smartphone. A tecnologia pode nos levar a fazer amigos e até a namorar através de plataformas virtuais, alterando nossa forma de se relacionar com o meio.
Na essência, todas essas relações de troca ainda continuam configurando marketing.

Indiferente de estar no ambiente virtual, ainda estamos analisando os 4 Ps em seus novos contextos; ainda estamos preocupados em entender o comportamento do nosso público e focados em criar desejos para as mesmas necessidades que o ser humano sempre teve. Ainda analisamos o meio no qual estamos inseridos para reconhecermos nossos pontos fortes e fracos, bem como as ameaças e oportunidades que afetam os nossos negócios.

Olhando por esse lado, acabamos simplificando o entendimento. Por mais complexas que as coisas possam se desdobrar na prática (porque se desdobram mesmo), é esse back to basics que direciona a um entendimento muito mais assertivo na hora de elaborar estratégias.

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você