[ editar artigo]

Não tem nada mais V.U.C.A. que o mercado imobiliário.

Não tem nada mais V.U.C.A. que o mercado imobiliário.

Bolsa de valores, taxas de juros, governos, dólar e tantos outros fatores influenciam o mercado imobiliário, principalmente o de alto padrão. Dependendo do momento do país, o nosso “Volatility” do dia-a-dia nos desafia na criação de qualquer estratégia de marketing ou de negócios para um prazo de 6 meses, por exemplo. Começo de ano é sempre motivador.

Os planejamentos de investimentos em marketing são audaciosos, iniciamos janeiro, fevereiro prevendo grandes oportunidades de fazer bonito durante 12 meses, mas logo nos deparamos com o tal do “Complexity” perto de nós, que na verdade nunca havia nos deixado. Uma mudança na economia do país, alterações na taxa de juros ou qualquer outra coisa e tudo pode se transformar nos meses seguintes. Tem mudanças que nos beneficiam. Tem acontecimentos que transformam o nosso ano positivamente. Mas tem fatores que nos encolhem. (Olha o “Ambiguity” aí!)

Diante do dificílimo ano de 2020 para toda a humanidade, o mercado imobiliário de alto padrão se surpreendeu com a necessidade das pessoas mudarem para casas maiores, apartamentos com varanda, casas em condomínios fechados no interior, para fugirem do isolamento mais restrito. Aliado a uma taxa de juros baixa, a mais baixa que o país já teve, bolsa compensando menos e até uma demanda de compra represada em Abril, Maio e Junho, o segundo semestre de 2020 se aqueceu profundamente e nos empurrou para 2021 com uma estratégia de marketing mais otimista. O “Ambiguity” funcionou nesse ponto para nós, positivamente. Porém, parece despontar que iremos vivenciar agora a letra “U” do ‘V.U.C.A”, o “Uncertainty”, pois, de um 2º semestre positivo em vendas no ano passado, como todos já sabem, tudo que sofremos referente a pandemia nos meses mais duros de 2020 já vivemos dobradamente agora, e o incerto, vem pela frente.

Não quero reduzir o V.U.C.A. do mercado imobiliário somente aos fatores de força maior, como eventos da natureza, saúde ou de decisões globais mais distantes do nosso cotidiano. Mas quero ressaltar, já no final desse texto, que os desafios relacionados às mudanças tecnológicas da nossa sociedade, transformações digitais das pessoas, empresas e consumidores se inserem e muito em nossa jornada diária de obstáculos. E talvez esses pontos são mais importantes e não menos urgentes de se lidar. São complexos também. E requerem mais empenho de um ambiente de marketing colaborativo, da era do “e”, não do “ou”, completamente vestido do “V.U.C.A. Prime” (Visão, Compreensão, Clareza, Agilidade), para garantir um caminhar seguro e eficiente a longo prazo.

Marketing na Era Digital
Israel Santana Oliveira da Rocha Carvalhais
Israel Santana Oliveira da Rocha Carvalhais Seguir

Publicitário, aventureiro na fotografia de viagens, trilhas e vales naturais desse nosso lindo Brasil. Membro de uma equipe de marketing apaixonada pelo que faz no mercado imobiliário de SP e um grande laboratório de experiências de vida.

Ler conteúdo completo
Indicados para você