[ editar artigo]

A agricultura familiar, a netnografia e a geração Z

A agricultura familiar, a netnografia e a geração Z

A internet veio encurtar distâncias, o surgimento das mídias sociais democratizou as formas de divulgação para os agricultores e, consequentemente, trouxe a oportunidade de ampliar o mercado, abrindo um novo canal de relacionamento com os consumidores. 

Já a netnografia é uma técnica da antropologia, aplicada ao meio digital. A antropologia é o estudo do outro, do que é diferente de mim, porque é a diferença que constrói a identidade.

Ao perceber suas diferenças e compreender a fundo seus valores e ao aprender a tirar proveito disso, o agricultor consegue expor essas diferenças através da sua identidade visual e do seu posicionamento, pois o estudo netnográfico possibilita importantes insights para a estratégia de atuação e comunicação da marca no ambiente on e offline. 

Ao imergir nesse novo mundo de consumidores antes não alcançados, a agricultura familiar se aproxima da geração Z, uma geração mais antenada e consciente, que usa as redes sociais para comprar e que se preocupada com o pequeno, se preocupa em consumir produtos que tenham valores atrelados às suas crenças.

Usando a netnografia podemos entender melhor os códigos comportamentais dessa geração que compartilha suas histórias no ambiente virtual, possibilita analisar novas formas de relacionamento com esse novo consumidor, seus hábitos de consumo, assuntos de interesse, percepção e formas de uso e compra de produtos e serviços, dando a oportunidade de uma estratégia mais assertiva e a possibilidade de novos negócios.

Marketing na Era Digital
Raquel Paula Daneluz
Raquel Paula Daneluz Seguir

Formada em publicidade, trabalhei 6 anos com marketing na agricultura familiar e 15 anos como produtora de televisão.

Ler conteúdo completo
Indicados para você