[ editar artigo]

A importância dos dados na estratégia de marketing

A importância dos dados na estratégia de marketing

Suponhamos que você irá fazer uma viagem de 500 km de distância e ao entrar num carro, este não possui o marcador de combustível, velocidade, temperatura, o dispositivo que abre o capô para verificar a quantidade de água e o nível do óleo está quebrado e não há como saber se os pneus estão calibrados. É possível saber se você está dentro do limite de velocidade permitido na via, se possui combustível suficiente ou se conseguirá chegar dentro do prazo estipulado?

LEIA MAIS - Data driven Marketing: como criar estratégias de marketing com base em dados?

Assim como o carro necessita de dispositivos de aferição para auxiliar o motorista durante a viagem, o seu negócio, a sua estratégia e suas decisões devem ser sempre data driven, ou seja, dirigidas, guiadas, direcionadas pela coleta e análise de dados.

O ambiente digital nos permite coletar uma quantidade de dados suficientes e que se forem bem trabalhados nortearão o passo a passo de uma estratégia mais assertiva e que trará resultados incontestáveis, pois, como disse Peter Drucker “O que pode ser medido, pode ser melhorado” e os números não mentem.

Quando fazemos um teste AB e o cliente pergunta por que a hipótese escolhida foi A e não B, não iremos dizer a ele que foi por chute, justificaremos a nossa opção nos dados. Mostraremos que seguimos com a opção escolhida porque apresentou melhor resultado segundo os indicadores de performance mais relevantes para aquele objetivo. Não se trata de achismo ou intuição, mas de fatos que são corroborados por análise de dados.

 Agora precisamos ter em mente que não são quaisquer dados que irão fazer com que alcancemos os resultados desejados, pois, existe uma gama enorme deles que se não forem relacionados com outros, não servirão para absolutamente nada. A grande sacada está em coletar os dados e saber utilizá-los, para extrair deles a leitura correta do cenário em que nos encontramos, a fim de que possamos planejar o futuro, ou seja, aonde queremos chegar. Nada além de aplicar o conceito de Business Intelligence que é operar de forma inteligente embasado por dados.

Como os dados são atualizados a cada momento, isso nos permite fazer correções pontuais de rota, diferentemente do que acontecia antigamente quando uma campanha era veiculada e repercutia de forma negativa, os prejuízos demoravam para serem mensurados e a resposta, por vezes, vinha de forma tardia, quando o estrago já era grande.

Hoje não, basta monitorar e ouvir o que as redes sociais estão falando para adotar uma mudança de rota ou ação seja tomada em caráter de urgência para gerenciar uma crise como aconteceu no caso do Banco Bradesco com a peça publicitária onde três influenciadoras fizeram a campanha “Segunda sem Carne”.

Percebendo como foi recebida de forma extremamente ofensiva pelo agronegócio, o banco cuidou de retirar do ar a propaganda e elaborou um um pedido de desculpas por meio de nota pública.

Ainda que, neste caso, os dados tenham possibilitado a ação , esta não foi rápida ou verdadeira o bastante para evitar grande prejuízo para instituição financeira, não se sabe se pelo fato do gerenciamento de crise não ter sido feito com a rapidez que o problema exigia ou se pela dimensão do estrago resultante da infeliz ideia.

A verdade é que hoje temos acesso mais fácil a um tesouro que são os dados e com interpretação correta podemos desenvolver uma estratégia de marketing, onde podemos monitorar praticamente tudo em tempo real, tomar as medidas necessárias de forma pontual para que o objetivo traçado seja alcançado da melhor maneira possível. Tudo isso resultará em clientes mais satisfeitos por um custo menor e que trarão mais compradores.

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você