[ editar artigo]

COMO CRIAR VERDADEIRAS CONEXÕES

COMO CRIAR VERDADEIRAS CONEXÕES

Você já contabilizou quanto tempo do seu dia está investido no ambiente digital?  

Redes sociais, ensino EAD, vídeos em plataformas de ‘streaming’, sites de jornais, blogs, etc. E com o recente distanciamento social, intensificamos ainda mais nossa presença nesse ambiente como forma de adaptação ao novo normal.

A propósito, há uma diferença entre estar presente em ambientes digitais e ser presente digitalmente. A primeira é uma forma de interação passiva, na qual estamos apenas recebendo o conteúdo. Já na segunda forma, somos os protagonistas e interagimos através da nossa emissão de valores. Apesar das diferenças, atuamos nas duas formas o tempo todo. Ainda mais com a imensidão de conteúdo nos mais diferentes canais e com a diversidade de conexões que temos disponíveis.

Presença digital

Entretanto, saber identificar esses momentos é fundamental para quem trabalha com comunicação. Diferente de um tempo atrás, na qual o canal de comunicação era unilateral, hoje é preciso estar atendo a estas duas formas de presença, pois o ambiente digital tornou a comunicação bilateral.

Um exemplo bem claro e recente disto é o aplicativo WhatsApp com a atualização de seus termos de uso. Muitos usuários não concordaram com a atualização e, imediatamente, procuraram outra alternativa – um dos motivos que fez aumentar o número de usuários no aplicativo concorrente, Telegram. Diante a esta reação inesperada, a marca resolveu suspender temporariamente a atualização do termo de uso.

Netflix como bom exemplo

Outro exemplo é a Netflix. Se analisarmos a divulgação do seriado Gambito da Rainha, observaremos a produção foi além de simplesmente disponibilizar o seriado em sua plataforma. A comunicação da marca conseguiu criar um frenesi através post em suas redes sociais com curiosidades sobre o universo do xadrez. O tema foi tão certeiro que a procura por tabuleiros de xadrez aumentou consideravelmente no Ebay. Isto sem contar com inúmeros conteúdos sobre o tema que foram produzidos por terceiros.

E por curiosidade, o sucesso do seriado foi tanto, que a rede Accor inaugurou o Harmon Room no Hotel Museu 21c, em Lexington, Kentucky. Mais do que um simples quarto com referências da série, é uma experiência nova e exclusiva para quem se hospeda nele. Uau! Quanta entrega de valor a partir de um único seriado. Podemos conferir abaixo as fotos do Harmon Room.

Fonte: https://exame.com/casual/hospede-se-em-quarto-de-hotel-inspirado-em-o-gambito-da-rainha/

Este sucesso da Netflix foi estrondoso, pois há muito tempo a marca entendeu a importância de conhecer seu usuário para então criar o conteúdo. Ou seja, para se fazer marketing de conteúdo, em vez de sair compartilhando por compartilhar, é preciso:

  • Identificar quem é o seu usuário e como é sua jornada;
  • Alinhar a jornada do usuário ao funil de vendas;
  • Pesquisar quais os canais os usuários estão presentes;
  • Identificar o tom de voz certo para cada momento da jornada;
  • Divulgar o conteúdo no formato que melhor convém em cada momento da jornada;
  • Publicar os conteúdos numa frequência agradável.

E além de identificar e mapear seu usuário, também é necessário um planejamento de comunicação, a criação de um calendário editorial, a produção otimizada de conteúdo e a definição de métricas para balizar a evolução da campanha.

Como podemos ver, marketing de conteúdo é a alma da comunicação, o elo sólido que conecta pessoas. Exige estudo, analise, métrica. Requer tempo, dedicação e o controle de nossa ansiedade, o que considero a parte mais desafiadora, não é mesmo?

Marketing na Era Digital
Vivian Kadowaki
Vivian Kadowaki Seguir

Acredito que o aprendizado continuo e a busca por novas oportunidades são essenciais para nosso crescimento. Tenho experiência com B2B, coordenação e produção de ações promocionais e de eventos corporativos. Vamos somar nossas experiências?

Ler conteúdo completo
Indicados para você