[ editar artigo]

Como manter a relevância da sua campanha por mais tempo?

Como manter a relevância da sua campanha por mais tempo?

Os novos aplicativos e novas tecnologias tem um gráfico de vida, em que geralmente o início é aquele booom, atinge o auge e depois tende a cair. Com as suas campanhas acontece o mesmo!

Em tempos de volatilidade de conteúdos e informações, você pode criar uma campanha  criativa, que no início tem uma super aceitação e participação do público mas que depois perde a graça.

Aparecem coisas novas e mais interessantes do que aquela sua ação. Então simplesmente você perde atenção do clientes, antes mesmo de atingir o objetivo inicial que o levou a criar aquela campanha.

Para isto você pode pensar estrategicamente suas ações com a narrativa transmídia, sempre convidando o consumidore a continuar esta conversa em outro ambiente, com mensagens diferentes, mas que se complementam entre si.

Quero apresentar aqui um case de uma campanha realizada para uma indústria de alimentos pela Gma Propaganda, onde trabalho.

Entendendo o case

Este cliente é uma indústria de alimentos cujo pico de vendas é na época das festas juninas, por vender muitos dos ingredientes usados nos quitutes tradicionais desta época.

Como trabalhamos sempre com o planejamento bem adiantado, estávamos com todas as peças de PDV sendo produzidas, ilhas com barracas juninas personalizadas da marca a serem colocadas nos principais supermercados da cidade, toda a equipe de representantes comerciais com os produtos a serem vendidos e ainda o lançamento de três novas linhas da marca. Quando então fomos surpreendidos pelo isolamento social.

As festas juninas com toda certeza iriam ser impedidas de serem feitas, o resultado seria a queda nas vendas. Mas como superar esses desafios de uma forma inovadora?

Observando o mercado, entendendo as dores do cliente e gerando conexão da marca com eles de uma forma criativa e estratégica.

Iniciamos então uma campanha, exclusivamente nos stories, chamada: Já que não tem Arraiá, bora brincar? 

Todos os dias eram colocadas perguntas cujas  as respostas eram Eu sim/Eu Não.

Para elaborar essas perguntas, usamos a etnografia desta região. Aqui são muito tradicionais as festas de Santo e geralmente há rezas e missas e só depois o tradicional tchá co bolo e as festas, as brincadeiras e a comilança. (Guarde esta informação)

Os mais velhos tem a tradição de participar de todos os ritos desses eventos, que normalmente são super demorados, cheios de cantigas, há as tiradeiras do terço e assim por diante. Os mais jovens tem a tendência de burlar a tradição e chegar apenas na hora do tchá co bolo. 

Analisando o nosso público nas redes sociais, vimos que ele é composto por jovens entre 18 a 24 anos, em sua maioria. Baseado nisso a primeira pergunta dos stories era: "Já cheguei na festa de Santo só depois da reza", o internauta tinha a opção de responder eu sim/ eu não. 

Foi quase unanimidade nas respostas Eu sim, e foi uma ótima isca para eles continuarem aos próximos stories.

Esta foi apenas a primeira, mas fizemos a construção das outras baseados nos dados etnográficos da nossa região, para garantir o engajamento por mais tempo. E ao final de cada dia, deixávamos a caixa de perguntas abertas para que os internautas sugerissem as perguntas do dia seguinte.  

Sabíamos que isto teria muito engajamento nos primeiros dias e e até a 2º semana no máximo, depois disso perderia a graça.

É por isso que usando a narrativa transmídia, no feed da página, 3 vezes por semana postávamos memes engraçados sobre a festa junina, ou a falta dela. Assim manteríamos as pessoas ligadas por mais um tempo, mas ainda assim não seria suficiente para mantê-los interessados por 2 meses, o período total da campanha.

Aliado a isso nos supermercados, estabelecimentos que ainda estavam abertos, toda comunicação visual da campanha, bem como os produtos, estavam disponíveis para visualização do cliente.

Para nos manter relevantes, criamos então a festa junina na caixa, que eram entregues a influenciadores digitais, somente com produtos da Mika Alimentos e Didane, que são do mesmo grupo. 

Ao serem divulgados como recebidos nas redes sociais, os internautas sempre interagiram dizendo que gostariam de ganhar também a festa junina na caixa.

Demos início então a Sexta-Junina! Sorteávamos toda semana a caixa de produtos. Inicialmente apenas  na nossa página do face. Isto durou três semanas.

Antes que perdêssemos a relevância, iniciamos também os sorteios na página do instagram!

E os stories, a esta altura já não tinha mais graça a brincadeiras com as perguntas não é verdade?

É claro que pensamos nisso também!

Criamos então o filtro para instagram com realidade aumentada de um chapéu em 3D, com uma trilha sonora de quadrilha para os internautas brincarem e interagirem com a maca.

A ideia inicial era colocar QRCodes nas ilhas da marca nos PDVs para que as pessoas interagissem, mas o filtro não foi aprovado a tempo de produção e acabou ficando apenas no digital.

A transmídia tem o objetivo de manter a relevância das suas ações, pois você utiliza conteúdos diferenciados para cada canal, instigando assim o cliente a continuar a conversa com você em outras plataformas.

Ao mesmo tempo se ele tiver acesso a apenas um dos canais, a mensagem estará completa da mesma forma, já que ela  induz ao ato de contar histórias através de várias mídias, com mensagens diferentes mas que juntas se complementam.

 

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você