[ editar artigo]

Copie, copie e copie. Será que é verdade?

Copie, copie e copie. Será que é verdade?

Será mesmo que Chacrinha tem razão quando diz: "Nada se cria, tudo se copia"? Essa frase trata-se de uma adaptação da célebre frase de Antoine Lavoisier “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

E "inventar a roda" será que é necessário ou podemos apenas nos movimentarmos sobre ela?

Esses e tantos outros pensamentos pairam sob a cabeça de nós que buscamos ser mais criativos e inovadores nos negócios e na vida, mas não sabemos por onde começar.

Afinal copiar e colar é bom? É certo? Qual a diferença entre se inspirar e copiar? 

Assunto delicado não é mesmo? Principalmente se formos levar para outros âmbitos da vida, então vamos focar em business.  

Algo precisa ficar muito claro, COPIAR sem autorização algo que possui direito autoral, não dar o crédito e não informar a fonte além de anti ético é crime.

Alguns gurus do marketing dizem copie, copie, copie e vá aperfeiçoando aos poucos. Isso talvez seja verdade em partes e é bem perigoso quando avaliamos fora de contexto e sugerimos isso para alguém que não sabemos ao certo se irá executar de maneira ética. 

O perigo está nos detalhes, copiar uma legenda de foto, criar uma publicação igual para rede social, copiar a landing page de um site, um modelo de negócio, um produto e por ai vai. Copiar é viciante, e quando você percebe tem um negócio que não tem nada a ver com você, com seus valores, com seus clientes e então pode ser o começo do fim. 

Temos que ter muito cautela com as "verdades fora de contexto", então antes de copiar algo eu quero sugerir que você pare e reflita nos pontos abaixo:

  1. Tem a ver comigo e com a minha marca? (Avalie se está alinhado com o seu modelo negócio)
  2. É isso que o meu cliente deseja? (Análise se você OUVE verdadeiramente o seu cliente. Será que você sabe o que ele quer, conhece suas dores e desafios, sabe sobre sua jornada?) 
  3. É real? É verdadeiro? (Será mesmo que o que você planeja copiar é tão incrível assim? É algo de verdade que fez esse sucesso todo mesmo?) 
  4. É ético o que eu pretendo fazer? Estou infringindo alguma lei ou valor moral? (Vale mesmo a pena seguir em frente?) 

Os pontos de reflexão acima, irão te ajudar a trilhar o caminho rumo ao pensamento crítico antes de sair copiando tudo.

Por fim, se após as reflexões você chegar a conclusão que vale a pena copiar, tenha cuidado em respeitar e dar os créditos a fonte e outro ponto de atenção é: adeque o conteúdo, a ideia para a realidade do seu público, do seu negócio, do seu investimento, junte referências distintas, não foque em apenas uma fonte, mas misture, faça uma salada bem colorida e diversificada de referências, isso irá contribuir para o desenvolvimento do seu repertório e consequentemente de sua autonomia criativa.

Dica extra para reflexão: Se todo mundo está fazendo igual, você acredita que se você copiar irá conseguir chamar atenção para sua marca? Será mesmo que as pessoas irão querer ouvir o que você tem a dizer? Não faz muito sentido, partindo do principio que todos estão falando a mesmo coisa não é?

O destaque vai para quem possui diferencial, quem tem empatia, quem fala e consegue tocar diretamente a emoção do cliente.

Fuja do gurus que te contam mentiras confortáveis, e se aproxime dos mestres que te apresentam verdades que algumas vezes podem ser inconvenientes.

Performance, KPIs, métricas, inbound, outbound, escalar o negócio, replicar, 7x1, faturar X dígitos. Todas essas palavrinhas infelizmente perdem o sentido quando pronunciadas por bocas erradas e sem contexto. Não dê atenção para isso se você estiver começando, o foco deve estar no cliente. Se você consegue entender verdadeiramente o seu cliente e ter empatia eu garanto que você conseguirá erguer um negócio incrível e sólido. 

 

Marketing na Era Digital
Lucas Resende
Lucas Resende Seguir

🚀 Ajudo pequenas e médias empresas a crescerem de forma estruturada desde 2011 🧠 Marketing | Head Management @aproximaco

Ler conteúdo completo
Indicados para você