[ editar artigo]

E agora? Como competir com um robô?

E agora? Como competir com um robô?

Diante da acelerada evolução no que diz respeito as mais diversas soluções tecnológicas, surge o seguinte questionamento: como o ser humano sobreviverá em sua profissão? Como ele vai competir com a agilidade de conexões e sinapses de um robô para a execução de uma tarefa?

Na condição de que as atividades estão sendo cada vez mais digitalizadas e automatizadas, a execução de diversas tarefas que fazem parte do rol de muitas profissões estão cada vez mais sendo substituídas pela máquina.

Na realidade, isso sempre aconteceu, mas atualmente vem acontecendo de forma exponencial a uma velocidade nunca visto antes. É uma situação que muitas vezes assusta, mas precisamos estar cientes de que as profissões não deixarão de existir, o que vai acontecer é uma mudança de prioridades das tarefas.

Afinal de contas, a máquina foi criada para facilitar a vida do próprio ser humano e simplificar o trabalho é uma desses propósitos. Talvez a humanidade ainda não esteja madura ou preparada para essa mudança porque os paradigmas continuam os mesmos.

O ser humano nunca será igual uma máquina, então não precisa sentir-se ameaçado, pois é ele que traz significado as coisas, a vida por meio da emoção, da empatia e da ética.

Se queremos ter mais qualidade de vida, mais liberdade e mais tempo para aproveitar a vida, precisamos ter alguém que faça as tarefas chatas.

Marketing na Era Digital
ELISÂNGELA DA SILVA ROCHA
ELISÂNGELA DA SILVA ROCHA Seguir

Administradora (UNIVALI), Especialista em Gerenciamento de Marketing (FURB/INPG), Mestre Engenharia de Produção (UFSC) e Doutora em Turismo e Hotelaria (UNIVALI) com período sanduíche na Universidade Rovira I Virgili, Espanha.

Ler conteúdo completo
Indicados para você