[ editar artigo]

NÃO SEJA MÍOPE

NÃO SEJA MÍOPE

Estamos em 2020, passando por inúmeras transformações digitais, nos surpreendendo a cada dia com uma descoberta, um avanço, uma “novidade” e tudo isto porque nunca colocamos a atenção necessária para os indícios que fomos recebendo e que foram traçando o futuro que era tão distante dos nossos olhos.

O principal pilar norteador das mudanças que passamos é o tecnológico e, sempre que surge uma nova tecnologia, devemos apontar pelo menos três pontos positivos e três pontos negativos antes de começar a amá-la ou odiá-la. Este é o único jeito de ter uma visão crítica e não enviesada da situação, segundo Martha Gabriel. Porém muitos não tomam este cuidado, criam uma verdade absoluta com base nas informações que têm nas mãos e esquecem de analisar se agrega valor para o mercado, se traz resultados eficientes e o quanto gera de interesse para as pessoas.

Temos que analisar o cenário cuidadosamente para não sermos vítimas do VUCA (cenário volátil, incerto, complexo e ambíguo) e estarmos sempre blindados dos vieses cognitivos, principalmente o de confirmação.

Vieses cognitivos são tendências que podem levar a desvios sistemáticos de lógica, afetando a formação de crenças, decisões de negócios/financeiras e o comportamento humano.

Quando exalto em específico o de confirmação, estou me referindo com a tendência das pessoas de procurarem apenas informações que confirmem suas próprias crenças e hipóteses, ignorando dados importantes que jamais deveriam ser negligenciados na visão macro e micro do negócio.

Esta visão míope ocorre porque o cérebro não segue a imparcialidade. Na maioria das vezes, ele sempre busca atalhos baseados nas vivências e percepções básicas para avaliar fatos, tomar decisões e confirmar sua ideia inicial, ao invés de ampliar as possibilidades e caminhar para outras direções, entendendo se existe ou não novos horizontes.

Aproveitem este momento que estamos vivendo para (re)pensar sobre isto, sair da rotina, do automático, dos julgamentos. Comecem a questionar mais “o ques” e “por ques”, criem mais possibilidades, sejam mais inovadores, gentis e empáticos, afinal, VIVEMOS E SOMOS UMA COMUNIDADE QUE UNIDA PODE IR CADA VEZ MAIS LONGE.

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você