[ editar artigo]

NEUROMARKETING E OS GATILHOS MENTAIS

NEUROMARKETING E OS GATILHOS MENTAIS



                Como chamo a atenção do meu cliente? Gatilhos mentais? Persuasão?
                Nosso cérebro é programado para tomar diversas decisões automáticas ao longo do dia, como ações básicas de ir ao banheiro, beber água, piscar os olhos. E é nessa lógica que as empresas fazem com que o consumidor realize a compra, utilizando os gatilhos mentais, mas ao contrário do que muitos pensam, ela não é uma manipulação, e sim um caminho para tornar a escolha do cliente mais fácil.
                Levando em consideração que toda decisão de compra é sempre após a emoção, ou seja, primeiro é tocado no nível emocional e depois no racional, ajudando assim o cliente a justificar o motivo pelo qual ele precisa daquele produto ou serviço.
                Hoje existem vários tipos de gatilhos, como escassez, urgência, reciprocidade e prova social. O que não é novidade é que antes havia muito do marketing boca a boca e hoje ele é muito mais conhecido como prova social.
                O ser humano tende a tomar decisões que estejam o mais de acordo possível com que os outros fazem, é por isso que a estratégia com influenciadores tem ganhado visibilidade, eles usam, mostram o produto e reforçam seu benefício.
                Outro detalhe é que grandes empresas estão deixando cada vez mais evidente o campo “comentários” de clientes em seus sites e aplicativos, pois, se há muitas pessoas falando bem, por que duvidar? É uma técnica excelente tanto para o cliente quanto para a empresa

 

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você