[ editar artigo]

O poder das conexões para as marcas

O poder das conexões para as marcas

Dentro das plataformas de mídias sociais ocorre diariamente o fenômeno em que conexões acontecem por um ou vários tipos de relações, compartilhando valores e objetivos comuns. Por meio de conteúdos, acabam impactando um grande número de pessoas caso sejam relevantes para  esse determinado público. 

E é nas mídias sociais que surgem as comunidades para fins específicos. Tanto que algumas marcas têm buscado investir na construção de comunidades centradas nos seus produtos e serviços. Mas nem sempre isso é o suficiente para engajar um grupo de pessoas.

É nesse cenário que manifesta-se o Marketing de Comunidade, uma estratégia, que segundo a Rock Content, "atua em um duplo movimento: oferecer e promover um espaço criativo para a construção de conexões entre indivíduos com interesses em comum enquanto identifica as necessidades dessa galera a fim de propor soluções eficientes para todos os envolvidos."

Mas antes de tudo vamos entender: o que é afinal uma comunidade? 

A palavra comunidade” vem do latim “communitāte” e abrange a ideia de algo comum, compartilhado. Mesmo que seja muito usada no sentido de agrupamento, uma comunidade é bem mais que um grupo de pessoas: é um grupo de interesses.

Antigamente, esse conceito era ligado a um agrupamento de indivíduos que conviviam geograficamente próximos, compartilhando práticas e costumes. Ou seja, eram pessoas que tinham vários pontos de similaridade. A repetição de comportamentos criava padrões que homogeneizavam os perfis dos seus membros.

No entanto, com a propagação da internet e com a transformação digital, esse conceito passou a compreender também aquelas pessoas que não necessariamente tinham muitos pontos em comum. Apenas com uma semelhança já é possível criar um espaço de diálogo e de compartilhamento — o que tende a atrair mais pessoas que se interessam por questões parecidas.

Com essa nova visão, tornou-se possível criar comunidades virtuais que desenvolvem hábitos, linguagens e rotinas que não precisam mais ser compartilhadas cara a cara. A possibilidade de entrar em contato com pessoas de outras regiões do mundo transformou esse processo em algo muito mais complexo.

Diante disso, a formação de comunidades, apesar de ainda ser uma prática centrada em interesses em comum, permite que cada um dos seus membros mantenha sua individualidade sem perder a noção de pertencimento. Uma comunidade, então, deixou de ser uma estrutura rígida pré-definida e passou a ser um espaço em permanente (re)construção.

Dessa forma, criar — ou identificar — uma comunidade, atrair pessoas novas, promover diálogos, aumentar o engajamento, produzir conteúdo e reforçar os laços entre seus membros se tornou um desafio ainda maior.

Não basta deixá-los juntos e esperar que eles criem em conjunto. É preciso construir um espaço que propicie essas interações.

O QUE É MARKETING DE COMUNIDADE?

De acordo com o blog de Inteligência Corporativa da Rock Content, “é uma estratégia de marketing que tem o objetivo de criar uma presença de marca — bem como sua visão e valores — e uma relação mútua de comunicação entre seus membros“.

Isto é, em linhas gerais, podemos dizer que o marketing de comunidade é um conjunto de ações de marketing que busca estreitar os laços entre a marca e seus consumidores, em que eles também são vozes ativas dentro dos canais de comunicação.

4 PASSOS FUNDAMENTAIS PARA O MARKETING DE COMUNIDADE

PASSO 1: Desenvolva a telepatia

O termo “telepatia”, aqui, é usado é apenas para exemplificar o quanto você precisa aproveitar cada informação sobre os desejos da comunidade.

Ao desenvolver uma comunidade, é preciso entender que as pessoas reagem de maneira diferente quando estão sendo observadas. Sabe quando a pessoa percebe que está sendo filmada? Pois então, na comunidade funciona da mesma forma. É como se você tivesse que entrar na mente das pessoas tanto em seu comportamento individual, quanto em seu ambiente coletivo.

Por essa razão, segundo a Inteligência Corporativa da Rock Content, o seu funil de conversão deve sempre ter as seguintes informações dos membros e potenciais membros da sua comunidade:

  1. Qual é a importância principal do seu negócio para a comunidade?
  2. O que leva alguém a participar de uma comunidade?
  3. Quais ideias funcionam para provocar engajamento na comunidade?
  4. Quais ideias não funcionam e por quê?
  5. Como o comportamento dos usuários aumenta o engajamento e a felicidade em participar do grupo?
  6. Quais ideias se pode tirar dos dados obtidos com as conversões?

Ter as próprias opiniões levadas em consideração é algo significante a todas as pessoas, e é o primeiro passo para construir uma imagem que vai permear as ações e escolhas dos membros da sua comunidade.

A partir do desenvolvimento da telepatia, mais claros serão as intenções das pessoas ao participar de um time. Automaticamente, será uma nova fonte de insights para o planejamento da sua marca.

PASSO 2: Ofereça conteúdo relevante todos os dias

Quando se cria uma comunidade é indispensável gerir ela. Antes de tudo, busque desenvolver o seu próprio tom de voz e ajude sempre. Dado isso, um dos seus principais esforços deve ser o de oferecer uma vastidão de recursos para desenvolver a comunidade.

Porém entenda que não se trata apenas de publicar novos materiais sempre, neste caso é ir atrás das pessoas que precisam e oferecer tudo isso sem pedir nada em troca. Faça os membros e potenciais membros da sua comunidade enxergar a sua marca como um porto seguro de informações confiáveis que vão desenvolvê-las pessoalmente.

Comunidade significa retenção, engajamento. Então, é preciso criar uma estratégia que faça o seu conteúdo chegar às pessoas sem que elas tenham que procurar demais, ainda que isso não seja importante para a obtenção de novos clientes e parceiros.

Esteja presente não apenas nos meios tradicionais de marketing de conteúdo, como os blogs, e-books e redes sociais. Acompanhe os membros da sua comunidade onde quer que estejam, seja em fóruns, canais de chat, grupos de facebook, dentre outros.

Dar uma resposta pessoal e imediata todos os dias vai solidificar a sua importância para o grupo e fará toda diferença.

Andrew Daves já dizia: "Conteúdo constrói relacionamentos. Relacionamentos são baseados em confiança. Confiança gera receita."

PASSO 3: aprenda com os membros da comunidade

Ao se criar uma comunidade em torno do seu projeto ou negócio, significa que milhares de pessoas vão circular ali diariamente. Com isso, sua empresa como agente central deve fornecer conteúdos e ensinamentos todos os dias.

Porém, aprender com os membros da comunidade não só trará mais conhecimento para desenvolvê-la, mas também criará o sentido de importância no grupo.

Caso você esteja gerindo uma comunidade, busque estabelecer canais de recebimento de ideias. Não é possível saber tudo sobre todos os usuários, e se aproveitar de conhecimentos genuínos individuais é uma fase fundamental no processo.

Procure membros de destaque na sua rede e busque aprender com eles face a face. Por conseguinte, espalhe isso aos outros, isso irá instigá-los a praticar o ensinamento e o aprendizado diários.

PASSO 4: faça muitas perguntas

No fim das contas, você precisa impressionar os membros da sua comunidade. Crie um ambiente em que você possa sempre aprender com eles.

Além do aprendizado técnico, descobrir pontos de melhoria por meio de feedbacks vai te poupar muito trabalho de tentativas e erros.

Por conta disso, há diversas formas de perguntar à sua comunidade o que você pode fazer para torná-la melhor. Conheça alguns exemplos:

  • Net Promoter Score: você pode utilizar um aplicativo especializado ou perguntar por e-mail à sua comunidade.
  • Canais de chat: uma janela de chat no seu blog, site ou mídia social é uma fonte contínua de informações da sua comunidade. Dezenas de serviços hoje podem te ajudar a implementá-los.
  • Surveys e enquetes: fazer perguntas publicamente ou para uma base específica é uma forma de engajar a sua comunidade. Nesse caso, é importante realizar ações que mostrem que as respostas estão sendo utilizadas para construir coisas novas.
  • Pesquisas: Levantar dados, estatísticas e insights sobre algum assunto relevante para a comunidade é um trabalho muito valorizado. Assim, a sua empresa trabalha em função de ajudar a todos, fornecendo informações à sua comunidade que dificilmente seriam obtidos por indivíduos isolados.
  • Caixas de comentários: comentários são uma métrica de engajamento da sua comunidade, além de mostrar para o público qual é o tom de voz adotado pela sua empresa e sua marca.
  • Depoimentos: uma das vantagens de ter uma comunidade é que nela há pessoas que adorariam publicar algumas palavras sobre o quanto a sua empresa gera valor para elas. Depoimentos têm grande poder de influência, além de serem um retorno gratificante sobre o seu trabalho.

Como construir uma comunidade engajada?

1) PINTEREST

O Pinterest é uma ótima ferramenta para construir uma audiência orgânica. A Laís Schulz, especialista em Pinterest e uma das maiores referências do Brasil no assunto, tem números impressionantes de tráfego gerado para o seu blog através da rede.

2) PODCAST

Podcasts estão mais em alta do que nunca. Criar um podcast focado em determinado nicho e trazer convidados para debater temas relevantes é uma ótima maneira de engajar a sua comunidade.

3) TELEGRAM

Com o Telegram, você pode enviar mensagens de texto, documentos, imagens, áudios e vídeos. Além disso, você tem a possibilidade de criar grupos sociais, familiares ou de trabalho. Uma das principais vantagens é a criação/uso de bots.

Uma grande vantagem de usar o Telegram para negócios é o alcance de 100% do público. Isso mesmo, você leu certo. Quando se trata de canais, todas as postagens publicadas são visíveis para todos os assinantes.

Para escolher entre um canal ou grupo é preciso ser extremamente específico sobre seus objetivos. Escolha sabiamente.

Bem, agora você pôde compreender melhor sobre Marketing de Comunidade, os passos fundamentais para criá-la e como construir uma comunidade engajada. O que você fará agora? Como irá desenvolver sua comunidade? Lembre-se do poder das conexões e use-o sabiamente para alcançar seus resultados almejados.

Marketing na Era Digital
Rafael Ramirez Vieira Gonçalves
Rafael Ramirez Vieira Gonçalves Seguir

💡Publicitário | ✍🏻 Letrólogo | 🌵 Nordestino ⚡Transformo Marcas por meio do digital 👨‍💻📈Mentor e Consultor Estrategista em Mkt Digital

Ler conteúdo completo
Indicados para você