[ editar artigo]

O que aprendemos com as mudanças?

O que aprendemos com as mudanças?

Mudanças sempre ocorreram e no mundo empresarial não é novidade. Este ano o mundo foi impactado com a pandemia do novo coronavírus, o que deixou a vulnerabilidade da sociedade e dos negócios em mais evidência.

O que antes do coronavírus parecia não ser tão importante, com o surgimento, mostrou-se essencial, como, por exemplo, a digitalização e a inclusão tecnológica. Crianças, idosos, empresas, órgão públicos enfim, todos tiveram que se adaptar e experimentar a digitalização e inclusão tecnológica em suas vidas. Trabalhar, estudar, divertir e consumir, tudo, teve que se adaptar ao mundo digital.

Com tantas mudanças em tão pouco tempo, o cenário se mostrou incerto, a vulnerabilidade “gritou”, a complexidade esteve mais presente e a ambiguidade explodiu em nossas vidas. Isso nada mais é que o mundo VUCA (Volatility, Uncertainty, Complexity e Ambiguity), termo criado pelo exército americano, no final da Guerra Fria, em 1990, onde escancarava um cenário imprevisível e hostil. O conceito do Mundo VUCA tão discutido e usado nos ambientes de marketing e científicos passou a constituir a vida de 7,8 bilhões de pessoas.

Sim, com o coronavírus tudo isso ficou mais evidente e as mudanças se tornaram obrigatórias para garantir a sobrevivência. A adaptação do ser humano para sobrevivência não é uma novidade, aliás no século XIX o biólogo Charles Darwin defendera a Teoria da Evolução, baseada nos princípios da seleção natural, ou seja, só sobrevive quem se adapta ao novo ambiente.

Diante desse cenário tão incerto, empresas e profissionais precisaram travar uma batalha, a necessidade da educação e adaptação à tecnologia deixou de ser uma tendência e virou uma necessidade. Profissionais e empresas que antes da pandemia, já estavam inseridos no mundo digital, saíram a frente, outros que estavam acomodados, em questões de dias precisaram adaptar suas empresas e carreiras para sobreviverem.

Todas essas mudanças, me fizeram lembrar do livro Quem Mexeu no Queijo, de Spencer Johnson, onde por meio de uma metáfora, o autor demonstra que a estagnação e o comodismo impedem de empresas e profissionais atingirem novos objetivos. As empresas e profissionais, principalmente os bem sucedidos em sua maioria se acomodam e não percebem os pequenos sinais que toda mudança apresenta, antes realmente de surgir.

E diante de tantas incertezas, presenciamos empresas, como o Zoom passar a valer mais que companhias aéreas. O que antes não tinha tanta importância, ou estava presente em um nicho de mercado, passou a ser essencial.

No cenário VUCA, de acordo com  a influenciadora digital, Martha Gabriel, “empresas e profissionais que não prestarem atenção nas tendências, ficarão resolvendo pendencias e morrerão.”

E como o marketing pode atuar diante de tantas incertas e mudanças? Segundo o “pai do marketing”,  Philip Kotler, “o marketing é a atividade humana dirigida para a satisfação das necessidades e desejos, através dos processos de troca.” Para satisfazer as necessidades e desejos, os profissionais de  marketing precisam entender de pessoas, conhecer às tecnologias e adaptar suas estratégias às mudanças  do mundo.

Enxergar o amanhã está cada vez mais difícil, antes os profissionais de marketing elaboravam planejamentos para 2,3 e 5 anos, hoje precisam planejar em cima de cenários atuais (aqui e agora) e serem flexíveis para mudar o curso de acordo com os acontecimentos.

Empresas e profissionais precisam usar a tecnologia a seu favor, precisam conhecer profundamente o seu negócio, para então aproveitar as oportunidades.

Conhecer seu público, quem você está atendendo, quais são as dores, quais são os prazeres e quais tecnologias estão usando é o básico para sua empresa sobreviver. E lembrem-se pessoas e tecnologias mudam o tempo todo, portanto aquele mapeamento que você fez a cinco, dez meses atrás, hoje não tem valor. O acompanhamento e mapeamento de pessoas e tecnologias precisam ser diários.

Os desafios são muitos, mas para sobreviver empresas e profissionais precisam, se conhecer, se aperfeiçoar, experimentar, monitorar, analisar e mudar, na mesma agilidade que as tecnologias e pessoas se transformam.

Bem-vindos ao cenário VUCA!

Stephânia S.P. Souza

https://mercatomarketing.com.br/

Marketing na Era Digital
Stephânia da Silva de Paula e Souza
Stephânia da Silva de Paula e Souza Seguir

Stephânia Souza possui experiência de 25 anos na área de comunicação, marketing, propaganda e publicidade. Atualmente à frente da Mercato Marketing, atua como consultora de comunicação e marketing.

Ler conteúdo completo
Indicados para você