[ editar artigo]

Presença Digital é fazer o que tem que ser feito

Presença Digital é fazer o que tem que ser feito

Quando falamos em Presença Digital ainda é comum a associação da dupla redes sociais + site, deixando de fora um grande leque de canais. O que para os profissionais que atuam na área parece óbvio, nas ruas, na hora da verdade de planejar e executar estratégias digitais, vemos que o mercado é carente de educação e coragem para fazer o que tem que ser feito. 

Há não muitos anos atrás era preciso alto poder de convencimento para uma marca no ambiente digital ser pensada para além de um website engessado, sem métricas tangíveis ou possibilidade ágil de contato.

Muito se evoluiu nesse sentido, mas o que precisa ser absorvido é que desenvolver uma estratégia digital pautada em resultados reais, inevitavelmente, envolve refletir para além do digital: o modelo atual do negócio, seus processos, como lida com mudanças e uma série de outros fatores, incluindo pontos delicados e que geram forte resistência dentro das empresas. 

Nesse processo, são muitas as situações em que clientes têm receio de se posicionar ativamente nas redes e precisam ser lembrados que sua marca já está lá, não é mais uma decisão a ser tomada – o que pode ser decidido é ser atuante ou passivo nessa conversa. A comunicação em via dupla e suas mil possibilidades de aprimoramento do negócio significa também tirar os gestores e equipe de uma falsa zona de conforto.

Trazendo para uma situação real de transformação digital de negócio do segmento de turismo com seus quase 30 anos de atuação e sucesso de mercado, implementar ações digitais envolveu um trabalho direto na cultura da empresa e seus mais de 300 funcionários. 

Foram anos de trabalho e uma série de conquistas que impactaram diretamente na receita, com o o crescimento radical de reservas diretas e a libertação da dependência das OTA’s (reservas online através de terceiros). Porém, como nem tudo são flores, até hoje, quase 10 anos depois do início desse trabalho, um importante canal segue em abandono: sites de avaliação. Entre eles, um de grande peso, o ReclameAqui.

Criado em 2001, o site recebe diariamente cerca de 500 mil consultas de consumidores que querem saber mais sobre a reputação das empresas. Qual foi minha reação ao ouvir, na época, de um importante gerente “áh, se a gente for se preocupar com cada avaliação negativa... vou criar um site ElogieAqui”.

Por isso, nunca é tarde reforçar: pensar a presença digital da sua marca e sua estratégia de atuação é antes de tudo entender seu público e suas demandas. Não adianta “estar por estar” e apenas nos canais e forma que lhe convém. A internet não aceita meias-verdades.

Sim, muitas conquistas foram alcançadas com o caso que citei acima, mas imagine só quanto crescimento e receita poderiam ter ocorrido caso a estratégia sugerida pela equipe de comunicação digital tivesse sido abraçada por completo.

Presença digital é a forma que sua empresa se firma nos meios digitais e seu objetivo deve ir além de uma mera vitrine. É preciso arregaçar as mangas e estar pronto para o diálogo, diminuir o peso do ego e ampliar a capacidade de ouvir. 

Enxergando cada crítica como um degrau de amadurecimento do negócio e que o relacionamento com seu público é o melhor caminho para manter uma marca em crescimento em tempos fluidos, onde negócio nenhum pode acreditar que sequer existe uma zona de conforto.

Foto ANTONI SHKRABA via Pexels

Marketing na Era Digital
Amanda Pereira
Amanda Pereira Seguir

Jornalista pós-graduada em Planejamento Estratégico em Comunicação e Trabalho com foco em Estratégia de Comunicação e Marketing Digital. Mãe, empreendedora, experiência com desenvolvimento de estratégia, gestão de equipe e cultura digital.

Ler conteúdo completo
Indicados para você