[ editar artigo]

A importância do Neuromarketing na tomada de decisão do consumidor

A importância do Neuromarketing na tomada de decisão do consumidor

Podemos definir, de forma sucinta, o Neuromarketing como a ciência que estuda e busca entender os fatores que influenciam o comportamento do consumidor. Importante ressaltar que 95% de nossas decisões são tomadas de forma inconsciente, automática, ou seja, sem que paremos para raciocinar sobre elas e essa é informação que não podemos desprezar nas estratégias de marketing.

LEIA MAIS - Neuromarketing em pequenos negócios sonho ou realidade

Como a demanda de informações no mundo de hoje é cada vez maior e o nosso cérebro tem, por natureza e questão de sobrevivência, a característica de economizar energia, gerar um conteúdo que desperte a atenção imediatamente, principalmente, no início da jornada do cliente, pode ser a diferença entre o fracasso e o sucesso de uma ação de marketing.

Existem uma gama de informações que nos permitem fazer copys mais atrativas, convincentes e que direcionam o consumidor para a ação que almejamos. Ações de marketing que utilizam o maior número dos sentidos humanos tendem a ser mais marcantes, causando memórias olfativa, visual, auditiva, gustativa etc. A psicologia das cores nos fala sobre qual cor utilizar nos criativos de acordo com o produto ou serviço que oferecemos e a identidade visual queremos ter.

Saber que nosso cérebro funciona com a premissa de evitar dor e buscar prazer, facilita com que sejamos mais assertivos em nossa comunicação, pois, como já mencionado, vivemos num mundo de incontáveis possibilidades, pois a todo momentos somos bombardeados por uma quantidade absurda de informações, temos que decidir o que fazer ou deixar de fazer nas mais diversas áreas de nossa vida, tais como profissional, social, amoroso, religioso etc. e isso vai fadigando o nosso cérebro. Portanto, até na hora de oferecer uma oferta temos que saber fazê-la para que o nosso cliente não se veja diante de uma um paradoxo de escolha.

A verdade é que quanto mais possibilidades nós temos, mais difícil é a tarefa de escolher. Imagine o seu cliente pronto para comprar o seu produto ou serviço e na hora de fechar a venda, você apresenta a ele uma gama de sugestões com oportunidade de upgrade disso ou daquilo, é capaz que ele não tome a decisão naquele momento pela quantidade de opções oferecidas e procure um concorrente pelo simples fato de sua oferta ser mais objetiva, não necessitando de decisão em mais aquela etapa.

O psicólogo Daniel Kahneman ganhou o prêmio Nobel de Economia em virtude de seus estudos sobre Economia Comportamental com a Teoria da Perspectiva. Basicamente essa teoria defende que a possiblidade de perda influencia mais na tomada da decisão do que as chances de ganho. Essa informação por si só já é uma grande aliada na elaboração de estratégias de marketing, principalmente na fase da conversão.

 

 

 

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você