[ editar artigo]

As inteligências em prol do marketing

As inteligências em prol do marketing

A necessidade de se manter atualizado e a constante competitividade tem levado empresas cada dia mais a busca por informações, conhecimento e dados sobre seu Mercado, o que inclui desde o ambiente organizacional ao macro ambiente.

Manter-se atualizado atualmente com todo esse volume de dados e terabytes circulando por segundos exige muito planejamento e perfeita execução, uma vez que estes se tornam obsoletos em questão de minutos.  Há que diga que relatórios de análise e monitoramento de inteligência já são considerados relatórios em “real time”.

Planejar um modelo de inteligência de mercados, requer maestria e profissionais de marketing com skills bem formatados, a tecnologia passou a exigir conhecimento de sistemas, aliado a análises estatísticas e todo o conhecimento sobre marketing e mercados.

O que antes se traduzia em um modelo descritivo, ou seja, coletando dados do passado, descrevendo eventos dentro de um padrão referencial e levando à tomada de decisão por meio de interpretações, passa agora para um modelo de predição, onde a máquina por meio de aprendizado e inserção de parâmetros, como objetivos, dados, referências e atributos bem definidos prevê os resultados e o cenário futuro. E não muito recente já estamos vivenciando modelos prescritivos, onde a atuação da inteligência artificial, oriunda do aprendizado de máquina fornece cenários descritivos e preditivos complexos capazes de simularem opções estratégicas e seus impactos de acordo com as diferentes variáveis.

União das inteligências

A evolução dos modelos estatísticos torna perfeita a união das inteligências, a inteligência de mercados (IM) e a inteligência artificial (IA). Juntas podem gerar grandes resultados.

Se analisarmos primeiramente a IM, seu ciclo consiste em:

  1. Planejamento: problemas, soluções identificadas, objetivos, escopo do projeto, time etc.
  2. Coleta de dados: procedimentos, processos, fontes de dados etc.
  3. Análise e tratativas:  Validação de dados, lapidação/limpeza, tratamento, análises, refino de dados, interpretações etc.
  4. Distribuição: Produtos e serviços da inteligência, 5Ms da Comunicação da inteligência etc.
  5. Avaliação e revalidação: Análise de resultados, e redesenho de processos e ações etc.   

E se analisarmos as sete etapas da IA, podemos perceber que há pontos em comum:

  1. Percepção:  O que está acontecendo?
  2. Notificação: O que é importante? Qual o fato relevante?
  3. Sugestão: Quais recomendações?
  4. Automação: O que podemos fazer sempre?
  5. Predição: O que podemos esperar desse resultado?
  6. Prevenção: O que conseguimos mitigar e evitar?
  7. Consciência Situacional: O que devemos fazer imediatamente?

Diante dessas duas etapas é possível construir um modelo que se complementa e torna o processo de inteligência de mercados uma grande força para uma organização, de forma que essa possa ser mais assertiva e construir ações e campanhas mais vencedoras!

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você