[ editar artigo]

Inteligência nada Artificial

Inteligência nada Artificial

A pouco tempo quando ouvíamos falar em Inteligência Artificial, imaginávamos coisas futuristas voando na nossa frente, robôs por todos os lados conversando com humanos, dentre outras coisas. Mas IA é muito mais simples e está presente em pequenas coisas do dia a dia que nem nos damos conta mais que se trata de IA.

Essas coisas futuristas e os robôs estão em estudo e em alguns casos já são realidade, como na medicina, mas ainda com muita coisa para evoluir. Presente na nossa rotina estão os algoritmos, atentos a cada clique da nossa navegação online capturando dados, dados e mais dados.

Mas o que são dados sem leitura e análise? Apenas dados.

Humanos são seres racionais, mas movidos por motivações e emoções. Hoje no planejamento de comunicação e marketing de um produto ou serviço, estudamos os dados para levantar comportamentos e entender em que fase da jornada está o consumidor. Ou entender para qual fase da jornada nosso produto ou serviço deve comunicar. Com a comunicação alinhada a jornada, é possível acompanhar um consumidor da fase de consideração até a fase final de conversão/compra.

Um maior ou menor engajamento do consumidor com o produto ou serviço demonstra como está a sua intenção de compra. A mensagem com o tom adequado para um cliente que está no topo do funil não deve ser a mesma para aquele que está na base do funil. Assim como as jornadas não são lineares, já que os interesses de cada indivíduo são únicos e uma mesma pessoal pode ser várias personas, surgem os micro-momentos como mais uma forma de impactar o consumidor.

Então, como profissional da área de comunicação e marketing, interessada no entendimento do comportamento do consumidor durante a jornada para entregar melhores resultados para os meus clientes, e engajada em ampliar meus conhecimentos na área do digital, considero a automatização do processo de levantamento de dados um passo inovador e muito importante para a modernização das ferramentas do mercado entregarem dados cada vez mais condizentes com a realidade.

Contudo, os dados capturados precisam ser utilizados em consonância com a inteligência humana para transformar publicidade em mensagem humanizada e assertiva. É aí que está toda a graça do negócio! Inteligência Artificial unida a inteligência humana para entregar comunicação humanizada e racional para consumidores que compram guiados pela emoção.

Marketing na Era Digital
Ler conteúdo completo
Indicados para você