[ editar artigo]

O neuromarketing como ferramenta para compreender o consumidor

O neuromarketing como ferramenta para compreender o consumidor

O neuromarketing é uma ciência que tem como objeto de estudo compreender os reais e verdadeiros sentimentos, muitas vezes inconscientes que o cérebro emite quando exporto à algum estímulo, principalmente propagandas.

Ainda pouco utilizado de forma ampla no mercado, ele surge como mais uma ferramenta para compreender o consumidor, além das pesquisas tradicionais que são comummente realizadas para avaliar as percepções dos consumidores.

O custo elevado desse tipo de estudo, pode ser facilmente justificado em grandes projetos de lançamento de novos produtos ao mercado, pois uma vez realizado, ele permite avaliar se o sentimento ou reação do consumidor ao produto ofertado é positivo ou negativo, esclarecendo vieses e possíveis dúvidas. Outro ponto, é avaliar qual o real estímulo que deve ser utilizado para promover o novo produto em campanhas publicitárias.

A embalagem, as cores e as imagens despertam reações diferentes dependendo da sua construção, por isso, testar as comunicações com sua identidade visual e mensagens são extremamente relevantes para garantir em resultado positivo. Muitas vezes, antes mesmo da pessoa ler o anúncio, o seu cérebro já teve algum sentimento em relação ao que foi visto. Havendo um equívoco entre o que ela diz de forma consciente e o que foi sentido inconscientemente. Assim compreendê-lo é uma boa maneira de evitar possíveis falhas e fracassos.

No entanto neuromarketing vai muito além disso, existe uma série de vieses cognitivos que funcionam como uma repetição, um comportamento do cérebro. Alguns deles são:  ou gatilho são comportamento do cérebro, como:

  1. Disponibilidade Heurística - superestimam a importância da informação.
  2. Viés de Ponto Cego - Caindo para reconhecer seus próprios vieses cognitivos em si.
  3. Ilusão de Agrupamento - ver padrões em eventos aleatórios.
  4. Viés de Confirmação - tendemos a ouvir apenas as informações que confirmam nossos preconceitos.
  5. Viés de Conservadorismo - preferem provas sobre novos elementos.
  6. Viés de Informação - buscar informações quando ela não afeta a ação.
  7. Efeito Avestruz - ignorar informações perigosas ou negativas.
  8. Estereótipos - identificar rapidamente os estranhos como amigos ou inimigos.
  9. Viés de Ancoragem - dependentes da informação que ouvem.
  10. Viés de Escolha Solidária - Quando você escolhe alguma coisa, você tende a se sentir confiante e positivo sobre isso, mesmo que essa escolha tenha falhas.
  11. Viés de Sobrevivência - Um erro que vem de se concentrar apenas em exemplos sobreviventes.
  12. Viés de Resultado - Julgando uma decisão baseada no resultado ao invés de fazer a decisão como é feito exatamente no momento.
  13. Efeito Placebo - acredita que alguma coisa irá dar um efeito certo em você, aquela coisa acaba tendo um efeito certo.
  14. Viés de Pró-Inovação - Quando um defensor de uma inovação tende a supervalorizar a sua utilidade e subestimam a sua limitação
  15. Recência – as coisas na forma como estão (padrão) e tomam decisões parciais.
  16. Saliência - focar mais facilmente nas características de uma pessoa ou um conceito.
  17. Percepção Seletiva - Permitindo nossas expectativas para influenciar a forma como percebemos o mundo.
  18. Efeito ‘’Bandwagon’’ - adotar uma crença baseado no número de pessoas que acreditam nessas crenças.

Crédito: Negative Space

Marketing na Era Digital
Renan Boer
Renan Boer Seguir

Publicitário formado pela PUCPR, atua na área de marketing em comunicação integrada, possui habilidades em estratégias de comunicação e marketing de conteúdo. Tem passagem por agência, veículo e cliente.

Ler conteúdo completo
Indicados para você