[ editar artigo]

Varejo híbrido: se você não está, só você não está

Varejo híbrido: se você não está, só você não está

Diferentes desafios envolvem colocar pra rodar um negócio digital. Seja uma loja em plataformas já existentes, investindo na customização em plataformas mais robustas, ampliando o alcance através de marketplaces ou focando no social commerce e outras ferramentas - vender online envolve quebra de paradigmas e mentalidade disruptiva. 

Com o avanço da pandemia e muitos negócios físicos fechados, quem já tinha um negócio digital encaminhado saiu na frente. A realidade é que grande parte das empresas teve que se adaptar com o que tinha em mãos e o cenário antecipou as projeções futuras do mercado de comércio eletrônico. 

Nesse sentido, o social commerce através do Instagram, Facebook e WhatsApp foi a forma mais rápida de garantir a receita no fim do mês. Outros detalhes como um mailing atualizado e equipe preparada para o digital foram cruciais para a agilidade das mudanças no novo cenário que se formou. Acontece que nesse processo, muitos varejistas, na mesma velocidade que se adaptaram, voltaram rapidamente ao formato anterior quando suas lojas físicas reabriram. 

Esqueceram apenas de uma questão: o consumidor não é mais o mesmo. 

Evoluir no caminho das novas demandas constantes do consumidor não é mais uma opção e o tempo tem mostrado isso. Mesmo que hoje aquele movimentado shopping garanta a entrada na sua loja, se sua marca e negócio não estiverem preparados - qualquer adversidade pode fechar suas portas. 

"O e-commerce no Brasil foi desbravado por varejistas físicos. Até hoje a mentalidade online é de varejistas físicos." (Bruno Oliveira)

Um fator é crucial para obter resultados digitais: a mentalidade voltada à inovação. Do time comercial, de entender o projeto como uma ampliação de canal de venda, mesmo que para isso, toda sua estratégia de vendas tenha que ser revista; e também dos gestores em desbravar com humildade esse novo mercado, abertos a entender suas características peculiares e engajar suas equipes. 

Muitos são os desafios, mas se acomodar não deve ser uma opção. Pensando com carinho, há sempre um caminho. E a prova disso é que:

"Com pandemia, vendas pela internet crescem 27% e atingem R$ 161 bi em 2021. Segmento deve faturar 9% a mais em 2022; 13 milhões de brasileiros fizeram primeira compra pela internet em 2020, devido às medidas de restrição da COVID-19" (Neotrust)

Em tempo de mudanças inevitáveis, não basta ser resiliente, a busca é ser antigrágil e trabalhar constantemente fora da zona de conforto. Não apenas se adaptando às situações conforme vão ocorrendo, mas desenvolvendo uma mentalidade de inovação capaz de se movimentar na frente, engajar equipes e clientes, buscar soluções e construir ativamente o futuro em que queremos viver. 

 

 

 

Marketing na Era Digital
Amanda Pereira
Amanda Pereira Seguir

Jornalista pós-graduada em Planejamento Estratégico em Comunicação e Trabalho com foco em Estratégia de Comunicação e Marketing Digital. Mãe, empreendedora, experiência com desenvolvimento de estratégia, gestão de equipe e cultura digital.

Ler conteúdo completo
Indicados para você