[ editar artigo]

Data-Driven Marketing: Você dá importância aos dados?

Data-Driven Marketing: Você dá importância aos dados?

Sempre me causou muita inquietação olhar para os diversos números que encontramos nas ferramentas de trabalho de marketing e querer entender, de forma assertiva, como aquilo me faria tomar decisões melhores. Não é à toa que, segundo dados da pesquisa CMO Council, empresas que implantam uma cultura de marketing orientado a dados têm 6x mais chances de permanecerem lucrativas ano após ano. 

LEIA MAIS - Os desafios do data-driven nos pequenos negócios

Olhar para os dados e interpretá-los requer uma mentalidade diferente, para que eles realmente se transformem em informação e ofereçam vantagem competitiva e oportunidade de alavancar os lucros. E é disso que se trata o Data-Driven marketing.

A verdade é que, quando utilizamos os dados para orientar as decisões de marketing, adquirimos mais clareza nesse processo e dessa forma é possível personalizar os pontos da experiência do cliente ao longo da jornada. Entretanto, não basta tomar decisões baseadas no histórico do passado, mas sim analisando o que acontece no presente e a partir disso fazer inferências naquilo que pode acontecer no futuro, aí que está o ouro dessa mentalidade.

 

“A tomada de decisão baseada em dados é jogar um jogo de alto nível para ter todas as estratégias de marketing digital significativamente mais otimizadas” Rafael Kiso 

 

Quais os benefícios de uma mentalidade orientada a dados?

A grande quantidade de dados pode ajudar a refinar e otimizar qualquer estratégia. Dessa forma, é possível criar evidências para aumentar o grau de certeza da aplicação dos investimentos de tempo, dinheiro e recursos. Mas os benefícios não param por aí:

  • Criação de campanhas automatizadas: permitindo que o profissional de marketing concentre seu esforço na parte estratégica e criativa do negócio;

  • Tempo e clareza: Torna-se mais fácil filtrar e cruzar dados para obter indicadores relevantes para tomada de decisão;

  • Segmentação: Quanto melhor as segmentações do público alvo, maior a garantia de que a mensagem relevante chegue à pessoa certa, no momento certo;

  • Personalização: Entregando a melhor experiência para o usuário. Com um certo cuidado para não assustar o receptor da mensagem; 

  • Experiência do cliente: Podendo mapear os principais pontos de contato ao longo da jornada e como poderiam ser melhorados;

  • Desenvolvimento de produtos: Permitindo obter informações sobre como o produto está sendo aceito e o que os clientes gostariam de ver no futuro.

 

Quando não se trabalha essa interpretação, é bem possível que você veja as coisas acontecendo, mas não entenda porque ninguém quer comprar e com isso acaba atribuindo a culpa em pessoas e situações erradas. Ter esse entendimento e transformar essas informações em conhecimento, é tão importante quanto implementar qualquer ferramenta ou estratégia, pois é isso que contribuirá para que você extraia ao máximo do que está sendo aplicado.

Marketing na Era Digital
Bruna Vallin Santos
Bruna Vallin Santos Seguir

Estudante de administração, curiosa, que não tem vergonha de se arriscar e que acredita que o óbvio deve ser dito.

Ler conteúdo completo
Indicados para você